Políticas públicas para animais abandonados são frágeis

Márcia Reinaldo

Edilene Oliveira, coordenadora de políticas ambientais da SEUMA.

De acordo com a Lei 9.605/98 praticar maus-tratos, ato de abuso, ferir ou mutilar animais silvestres, domésticos ou domesticados, nativos ou exóticos, resulta em detenção de três meses a um ano e multa, abandonar também é considerado crime. Porém o que se vê nas ruas, praças e parques ecológicos da capital cearense são centenas de animais abandonados e sem os cuidados necessários.

Atualmente, apesar de não haver um quantitativo oficial, a estimativa é de que existam cerca de 200 mil gatos abandonados em Fortaleza. O sofrimento da fauna doméstica é visível. Esses animais têm as mesmas necessidades dos seres humanos, tendo em vista que quando abandonados, são largados no meio ambiente urbano, onde passam fome, sede, podem ser atropelados, contraem vários tipos de doenças e não tem quem os proteja.

A PATA Ceará é uma organização não governamental que ajuda a encontrar um lar para os animais abandonados da cidade, a ONG procura um tutor que adote o animal da rua. Para a tutora Gorete Oliveira, que adotou quatro cachorros e sete gatos, a experiência é enriquecedora:

Gorete Oliveira, tutora de animais.

Ainda segundo a tutora, os animais dão um sentido para a sua vida. Em sua fala, Gorete revela que a ONG proporcionou um curso de adestramento para aprender a lidar com os bichos:

Gorete Oliveira, tutora de animais.

De acordo com a Secretaria Municipal de Urbanismo e Meio Ambiente (SEUMA), um dos pontos mais críticos onde os felinos são deixados é no Parque ecológico do Cocó, área nobre da cidade de Fortaleza, onde há animais silvestres de pequeno porte, e o contato dos felinos com os animais silvestres pode levar a extinção de algumas espécies, e isso acaba afetando o ecossistema local.

O Centro de Zoonoses, em atuação conjunta com a SEUMA tem intensificado ações diretas de mobilização social e prevenção de doenças, por meio de vacinas e castrações. A Prefeitura implantou o Castramóvel, em outubro de 2016 e ainda não divulgou um levantamento de quantos atendimentos realizou.

O carro é um serviço que não consegue atender toda a demanda, e logisticamente ainda precisa de ajustes. Atualmente está atuando apenas junto aos protetores de animais em pontos críticos, e a população em geral não consegue ter o auxílio desse benefício. Nessa perspectiva, é necessário a efetivação de políticas públicas mais incisivas que envolvam a temática.

Com o jogo interativo, divirta-se!

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.