Se o amor bate a porta, você abre?

Depois de algum tempo sozinho, você se acostuma a estar sozinho. Desde o despertar até a hora de ir dormir, acompanhado de tua solidão. E beleza, ela não te incomoda e é até uma boa amiga de vez em quando. Mas então acontece, seja na fila do pão ou na última balada que você foi. Você encontra aquele sorriso que, naquele momento, você julga ser o o sorriso que quer ver pelo resto da vida.

Vocês se conhecem e você descobre que o sorriso não é só o sorriso, é o beijo. O beijo não é só o beijo, é o corpo inteiro. Não é só o corpo, é a mente. É o carinho. A personalidade. Não é o sexo em si, mas o jeito que ele te olha enquanto transam. Aí, meu irmão, tu tá fudido. Mesmo tentando negar, os trejeitos e maneiras dela estarão impregnados na tua cabeça. Se ele for piloto, toda vez que um avião passar você vai se lembrar dele. Se ela for fotógrafa, toda exposição fotográfica que ouvir falar, você vai querer comentar com ela.

Você vai querer saber de todo o dia dele, mesmo que seja sempre a mesma rotina. Você simplesmente não se cansa de ouvir! Também não se cansa do tal sorriso, do abraço, do toque, e do jeito que ele sussurra no teu ouvido que te quer.

Por mais que não queira se apaixonar ou se envolver, não adianta: o safado sabe como te conquistar. Meu conselho pra você, cara, é o mesmo que tento seguir: se joga, se entrega. Eu sei que você já por isso e eu sei que doeu. Eu sei também que a parte boa é ótima, mas a parte ruim, quando ela vem, é terrível. Menina, você já está nesse barco e agora não adianta nadar contra a maré. O melhor que você pode fazer é remar a favor e ver onde vai dar.

Por isso que eu vou continuar me perdendo em lembranças quando ver aeronaves e sugiro que você conte logo para ela da tal exposição. Porque o amor não vai bater na sua porta, ele vai sair entrando sem querer saber se a casa tá arrumada. Logo, não perca tempo pensando que você pode se dar mal. Se joga e sente o bem que o amor pode te fazer.

30/10/2013