te amei

Acordei, depois de uma noite de bebida e risada,para fumar na varanda de um lugar que eu não me encaixava. Não me confortaria mesmo se estivesse em casa.

Levei à minha boca o papel enrolado em agentes químicos, porém de sabor agradável, e o acendi.

Pensei em você.

Pensei em como este era um momento compartilhado contigo. Mas não é mais. Nem pretende ser.

E senti tua falta.

Senti falta do teu beijo quente numa manhã, que já era tarde, quase noite. Porém, minha boca e a tua não se encontram mais. Não se encontrarão mais.

Então, bebi novamente.

Tequila, não aguardente. Essa dose é você quem vai virar. Meu último gole será de cerveja, e não do teu amor, por favor. Essa ressaca é difícil de aguentar.

Sofri, enfim.

Sofri com tua insuportável ausência. Por gentileza, permita que eu te esqueça. Só não retribuo o favor. Acenda também um cigarro na tristeza.

Like what you read? Give Iole Melo a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.