Sabe o que existe além do crachá?

Parte de mim entende esse lado e enxerga diferente, a outra parte muitas vezes sente o que não queria demonstrar. Muitas vezes o ser humano se perde ao se amar e só percebe quando perde a vontade de recomeçar.

O ser humano é constante e inconsistente, como um bolo mal feito, mas que mata a fome mesmo quente.

É inexplicável o presente que recebe ao acordar. É luz e vida a todo momento, até ao se deitar.

Os dilemas intercorrentes que insistem em visitar esses humanos na Terra que não cansam de se queixar, fazem da mente desse ser se exaltar. A vida só ocorre quando passam a se amar. O que é externo jamais compensará a falta e o vazio que se deixa quando não se sabe onde chegará. Entenda, a vida não é apenas um eterno registrar de ponto do seu crachá.