Image for post
Image for post

O fim do “Headphone Jack”

Sim, chegou o momento de falar do fim do “Headphone Jack”.

iPhil
iPhil
Oct 25, 2017 · 3 min read

Quando avancei para o iPhone 7 Plus, já tinha realizado o upgrade dos “headphones” que me acompanham.

Logo após a apresentação, comecei a preparar o terreno para fazer a transição dos habituais “headphones” de cabo para Wireless.

Na mesma apresentação, a Apple lançou os Airpods (e os Beats X). Apesar da dúvida, acabei por escolher um dos concorrentes, os Jaybird X3, que têm uma aplicação absolutamente brutal, que permite a personalização do sound design dos Jaybird.

Image for post
Image for post

Apesar de ter ficado impressionado com os Airpods e com a evolução dos Beats X, o design, o facto de ter cabo que liga os dois auriculares e a possibilidade de instalar umas shark fins para facilitar a fixação, pesou para a escolha dos Jaybird X3.

Durante os últimos meses, entre o iPhone 6 e iPhone 7 Plus, acabei por me habituar aos meus primeiros “headphones” wireless e acabei por compreender as razões que levaram a Apple a seguir este caminho. E não estou a falar dos motivos que foram apontados em palco, quando o Phil Schiller falou da “coragem”.

Depois da apresentação do iPhone 7 / 7 Plus, pareceu-me evidente que a Apple tinha dado o tiro de partida para o início do fim do “headphone jack”. Alguns dos notáveis da tecnologia, não tardaram a criticar a decisão da Apple.

Pessoalmente, pareceu-me uma reacção exagerada, mesmo que compreenda que estamos perante a eliminação de um dos conectores mais antigos.

Nós podemos encontrar prós e contras nas duas soluções. Sempre ouvi críticas em relação à qualidade de som dos “headphones” wireless, no entanto, os meus Jaybird são absolutamente brutais a esse respeito. Os melhores que alguma vez tive.

E sim, não me esqueci que os Jaybird precisam de ser carregados e esse é, sem dúvida, o ponto mais negativo, uma vez que não podem ser utilizados durante o carregamento. Felizmente, o carregamento é relativamente rápido.

Por outro lado, não me consigo esquecer da quantidade de “headphones” que estraguei por causa dos cabos. E os nós? Querem falar dos nós?

Os mesmos cabos que sempre me condicionaram no gaming, por causa do meu setup, com cadeira e volante (infelizmente, não tenho jogado e espero voltar a este tema no futuro).

Chegamos a Outubro de 2017 e ironicamente é o Google que espeta o 2º prego no caixão do “headphone jack”, ao apresentar o Pixel 2 / 2 XL, sem o mítico conector. Se havia dúvidas, o Google retirou-as, quanto ao destino do “jack” de 3.5mm.

Também dirão que os preços são proibitivos, mas até na GearBest já vão encontrando boas opções.

Portanto, get over it!

Com a minha experiência dos últimos meses, posso dizer que não sinto qualquer falta do “headphone jack”, confirmando a tendência iniciada pela Apple e confirmada pelo Google.

E vocês, já deram o salto para o áudio sem fios?

Welcome to a place where words matter. On Medium, smart voices and original ideas take center stage - with no ads in sight. Watch
Follow all the topics you care about, and we’ll deliver the best stories for you to your homepage and inbox. Explore
Get unlimited access to the best stories on Medium — and support writers while you’re at it. Just $5/month. Upgrade

Get the Medium app

A button that says 'Download on the App Store', and if clicked it will lead you to the iOS App store
A button that says 'Get it on, Google Play', and if clicked it will lead you to the Google Play store