Capital Intelectual: O ativo de valor escondido

Primeiro vamos definir o capital intelectual como sendo todo conhecimento organizacional que pode ser convertido em valor para a empresa. Esse conhecimento está nos processos, na tecnologia, nos clientes e é claro naquilo que consideramos o ativo mais importante de uma empresa: as pessoas. Podemos entender capital intelectual então como o ativo intangível das empresas.

Ter processos bem definidos e produtivos colaboram para que a empresa possa crescer e gerar mais valor. Isso vale também para as tecnologias, para as pessoas e para os clientes, quanto mais qualificados eles são, mais geram valor para a empresa.

O capital intelectual é dividido na tríade: Capital humano, Capital Estrutural e Capital de Relacionamento. Precisamos dessas 3 bases funcionando para poder gerar valor.

Capital humano

São todas as pessoas que fazem parte da empresa, seus conhecimentos, habilidades, criatividade, atitudes e competências que geram valor para a empresa.

Capital Estrutural

Remete aos processos, a tecnologia, a cultura e a estrutura da empresa. Ou seja, uma tecnologia ou mesmo a maneira que a empresa se apresenta gera capital de valor para ela.

Capital Relacional

Aqui se encontram o relacionamento com o cliente, relacionamento com os fornecedores por exemplo, podemos notar que o cliente também agrega valor, assim como os fornecedores o fazem.

A tríade está conectada, é impossível ter pessoas boas e processos e relacionamento ruim e vice e versa.

O conhecimento está disperso na sociedade e nas organizações, o capital intelectual trabalha exatamente com a valorização desse conhecimento utilizando-o como recurso econômico. Pois então, precisamos ter um melhor aproveitamento do conhecimento em nossas organizações, precisamos aprender com os processos, com a cultura, com a tecnologia, com os clientes, com os concorrentes etc.

As pessoas são disparadamente o ativo mais importante numa organização, então é de suma importância que nos cerquemos de boas pessoas e que elas possam trazer conhecimento e atitude para dentro da empresa.

Sem pessoas boas não conseguimos sequer trocar uma lâmpada, quem dirá ter processes eficientes. Esse conhecimento que os colaboradores trazem de fora e mesmo o conhecimento que se gera dentro da empresa é o que cria valor para a organização.

Chamamos a atenção para o capital intelectual pois acreditamos que nenhum gerente ou executivo queira desperdiçar algum recurso competitivo dentro da empresa, porém ainda se aproveitam muito pouco dos recursos que formam a tríade. Isso faz com que não tiremos como um todo o melhor de toda a organização pode dar.

Acreditamos que podemos aprender e muito se pudermos deixar de lado essa miopia e assim poderemos criar um valor inimaginável que sempre existiu mas que está escondido dentro da nossa própria organização.