Chile

Do deserto mais seco do mundo à diversidade cultural de Santiago.

Valle de la Muerte // Isabella Noce Bicalho © Todos os direitos reservados.

Em virtude de suas dimensões incomuns, há inúmeras formas de viajar por terras andinas: percorrer as atrações de Santiago e conhecer sua vida noturna, seguir as rotas dos vinhos nas vinícolas do Valle del Maipo, desbravar o Deserto do Atacama, ir às praias de Viña del Mar e Valparaíso, esquiar no Valle Nevado, aventurar-se pelas deslumbrantes paisagens da Patagônia Chilena e até explorar os mistérios da Ilha de Páscoa.

Estes são alguns exemplos do que um dos países mais desenvolvidos da América Latina oferta. A seguir, um pouco do que vivi lá.


Santiago

Ao desembarcar na capital chilena, fui de transfer do aeroporto ao hostel (preço da van compartilhada: 6.000 pesos).

Cheguei ao Parrón de Colores. Fui bem recebida pelo dono e paguei as cinco diárias em quarto duplo (R$ 240 / 50.000 pesos por pessoa). A acomodação era agradável, com bom custo-benefício e a cama tinha até aquecedor no colchão (!).


Na manhã seguinte, comprei um cartão BIP para o metrô (1.550 pesos*), que deve ser carregado com um crédito inicial de 1.000 pesos. Segui para o Museo de Arte Contemporáneo de Santiago (entrada gratuita), o qual, em sete décadas de existência, adquiriu, por meio de concessões, doações e compras, obras de artistas chilenos e estrangeiros.

Museo de Arte Contemporáneo // Isabella Noce Bicalho © Todos os direitos reservados.

Um dos principais pontos turísticos de Santiago é o Palácio de La Moneda. Sede da Presidência da República do Chile, foi bombardeado durante o golpe de estado de 11 de setembro de 1973, no qual foi deposto e morto o presidente Salvador Allende. Neste dia, é comum ocorrerem manifestações no país, como uma forma de recordar a data.


O Cerro Santa Lucía, usado pelos índios mapuches, foi apossado por Pedro de Valdivia em 13 de dezembro de 1541, dia de Santa Lucía. Há vários caminhos para subir o Cerro, pelos quais se veem fachadas adornadas, estátuas e fontes. No alto, um mirante permite uma bela vista de 360° da cidade e da Cordilheira dos Andes.

Cidade de Santiago vista do Cerro Santa Lucía // Isabella Noce Bicalho © Todos os direitos reservados.

A Casa Museo La Chascona (7.000 pesos*) é uma das três casas de Pablo Neruda. Foi construída em 1953 para Matilde Urrutia, amante do poeta na época e cujo apelido, “chascona”, significa “despenteada”.

A ladeira do Cerro San Cristóbal foi o lugar definido para a construção da casa, que remete à estrutura de um barco: decoração composta por elementos náuticos, piso levemente inclinado, teto baixo e janelas pequenas. O projeto é do arquiteto Germán Rodríguez Arias, embora tenha abundantes sugestões de Neruda.

Seu interior reúne salas com muitos móveis, objetos curiosos e uma pinacoteca. Um dos destaques do museu é um retrato de Matilde pintado por Diego Rivera. A obra tem duas cabeças, e a da esquerda é, na verdade, o poeta de perfil.


O Cerro San Cristóbal, ao lado de La Chascona, é o segundo ponto mais alto de Santiago e propicia uma grandiosa vista da cidade. Para subir, o meio mais prático é com o funicular (ida e volta: 2.000 pesos*).


O intrigante Museo Chileno de Arte Precolombino (4.500 pesos*) dedica-se ao estudo e à exposição de obras de arte pré-colombianas. Muitas delas vieram da coleção particular do arquiteto Sergio Larraín García-Moreno. O acervo possui esculturas, cerâmicas, prataria, tecidos, enfeites corporais, máscaras cerimoniais, instrumentos musicais, entre outros artigos bastante significativos para a História.


Aos amantes de vinho, indica-se a visita à vinícola Concha y Toro. Para chegar até lá e obter mais informações, acesse este link. Há tours guiados em português. As reservas devem ser feitas por telefone ou por e-mail com, pelo menos, 24 horas de antecedência. A rota do tour tradicional (12.000 pesos) consiste em:

  1. Passeio pelos jardins, pelo parque e pelo exterior da residência de verão da família Concha y Toro, datada do fim do século XIX.
  2. Orientações sobre a origem do vinho da Concha y Toro no Jardim de Variedades, que comporta 26 cepas de uvas viníferas. Visita ao vinhedo de Pirque Velho.
  3. Visita às bodegas de guarda. Entre elas, a centenária Casillero del Diablo.
  4. Degustação de vinhos.

O Wine Bar da vinícola serve queijos, petiscos e pratos da gastronomia chilena, acompanhados, é claro, de saborosos vinhos.

Vinícola Concha y Toro // Isabella Noce Bicalho © Todos os direitos reservados.

Em Santiago, também há um Hard Rock Cafe, que segue o padrão das outras unidades: comida boa e cenário bonito.


Na metade do século XIX, estabeleceu-se no Chile um período de intenso entusiasmo cultural, proveniente de projetos políticos que se destinavam a expandir o saber e as artes no país. Desde sua inauguração, em 1910, o Palácio de Belas Artes serve de sede ao Museo Nacional de Bellas Artes (entrada gratuita*). Foi projetado pelo arquiteto franco-chileno Emile Jéquier, em estilo neoclássico, com detalhes em Art Nouveau e estruturas metálicas, uma tendência na arquitetura da época.

O MNBA mantém um acervo de mais de 3.000 peças. Abrange, em sua maioria, a História da Arte chilena, do período colonial aos dias atuais. Na seção de arte internacional, predominam coleções de pinturas italianas, espanholas e flamengas, além de desenhos, gravuras, fotografias, estampas japonesas e um conjunto de esculturas africanas.

*valores para adultos, atualizados em fevereiro de 2017.


Deserto do Atacama

San Pedro de Atacama é o local de onde saem as excursões para o deserto. O singular vilarejo ainda conserva as casinhas construídas com adobe e palha nos telhados, e as ruas de terra. Ainda assim, a comuna oferece estrutura para os turistas, com diversas opções de hospedagem, restaurantes, pequenos mercados, agências e casas de câmbio. Procure pelas ruas Caracoles e Toconao.

Nesta primeira viagem, acomodei-me em um quarto duplo no hostel El Anexo por quatro noites (R$ 276 / 57.000 pesos por pessoa). Também me habituei a jantar no mesmo restaurante, Las Delicias de Carmen. Os motivos: refeições caseiras, típicas, variadas, bem servidas, atendimento cuidadoso e preços justos.

Hostel El Anexo // Isabella Noce Bicalho © Todos os direitos reservados.

Hostel El Anexo // Isabella Noce Bicalho © Todos os direitos reservados.

Valle de la Luna e Valle de la Muerte

Por estarem a 2.500 metros de altitude, os passeios ao Valle de la Luna e Valle de la Muerte são feitos no primeiro dia, a fim de que o corpo comece a se familiarizar às novas condições.

Valle de la Luna // Isabella Noce Bicalho © Todos os direitos reservados.

Valle de la Luna // Isabella Noce Bicalho © Todos os direitos reservados.

A região do Valle de la Luna tem esse nome devido à ação de processos geológicos que modelaram a paisagem de maneira a lembrar a superfície lunar.

É ali que também estão as Cuevas de Sal, cavernas que se tornam cada vez mais estreitas a cada passo. É preciso atravessá-las para continuar o percurso.

Trilha para a Cordilheira de Sal // Isabella Noce Bicalho © Todos os direitos reservados.

A Cordilheira de Sal, com aproximadamente 80 km de extensão, apresenta os mesmos aspectos de ambos os vales e é formada por argila, gesso e sal.

Cordilheira de Sal, dentro da qual está o Valle de la Luna // Isabella Noce Bicalho © Todos os direitos reservados.

Outro elemento importante do Atacama são as dunas, cuja areia se forma pela erosão das partes mais resistentes da Cordilheira de Sal. Por essa razão, os grãos são bem finos e facilmente carregados pelos ventos vindos do Pacífico.

Ao fim do tour, acompanha-se o indescritível pôr do sol no Valle de la Luna.

Pôr do sol no Valle de la Luna // Isabella Noce Bicalho © Todos os direitos reservados.
Preço*: a partir de 15.000 pesos.
Entrada no Valle de la Luna*: 3.000 pesos (estudantes têm desconto).
Duração: cerca de 4 horas e meia, com saídas às 15h (inverno) ou às 16h (verão).
*valores de fevereiro de 2017. Horários e preços variam.

Lagunas Altiplânicas e Salar do Atacama

O segundo dia, geralmente, é destinado às Lagunas Altiplânicas e ao Salar do Atacama.

O Salar do Atacama é a maior superfície de sal do Chile e uma das mais relevantes áreas da Reserva Nacional Los Flamencos.

Salar do Atacama // Isabella Noce Bicalho © Todos os direitos reservados.

Seu surgimento deu-se pela precipitação de minerais vindos das montanhas até o vale localizado na parte central da formação rochosa. Quando o clima era mais úmido, os lagos evaporavam e o sal permanecia no fundo. Em temporadas mais secas, o sal cristaliza, dando origem à esta característica paisagem.

Na Reserva também fica a Laguna Chaxa, morada de numerosas espécies da fauna atacamenha.

Laguna Chaxa, na Reserva Nacional Los Flamencos // Isabella Noce Bicalho © Todos os direitos reservados.

E, a mais de 4.000 metros acima do nível do mar, situam-se as Lagunas Miscanti e Miñiques, cujas margens são integradas por uma vegetação rasteira, em tons de dourado. As lagoas surgiram após uma erupção vulcânica que causou a retenção das águas, há mais de 1 milhão de anos.

Miñiques // Isabella Noce Bicalho © Todos os direitos reservados.

Laguna Miscanti // Isabella Noce Bicalho © Todos os direitos reservados.

Lagunas Altiplânicas // Isabella Noce Bicalho © Todos os direitos reservados.

Fauna e vegetação características das Lagunas Miscanti e Miñiques // Isabella Noce Bicalho © Todos os direitos reservados.
Preço*: a partir de 35.000 pesos. Inclui café da manhã e almoço.
Entrada na Laguna Chaxa*: 2.500 pesos.
Entrada nas Lagunas Altiplânicas*: 2.500 pesos.
Duração: o dia todo, com saídas a partir das 6h e retorno entre 15 e 16h.
*valores de fevereiro de 2017. Horários e preços variam.

Lagunas Cejar e Tebinquiche

A maioria das lagoas do deserto é composta pelas águas de degelo das montanhas ou por lençóis subterrâneos.

Região da Laguna Cejar // Isabella Noce Bicalho © Todos os direitos reservados.

A Laguna Cejar comporta-se como o Mar Morto. A alta concentração de sal não deixa que o corpo afunde. As margens estão cristalizadas pelo mineral e a água tem lindos tons esverdeados. Na mesma área, encontram-se os Ojos del Salar, duas fendas imensas de água doce.

Ojos del Salar // Isabella Noce Bicalho © Todos os direitos reservados.

A Laguna Tebinquiche é o local escolhido para mais um pôr do sol, complementado por aperitivos e doses de pisco sour oferecidos pelas agências.


Preço*: a partir de 38.000 pesos.
Entrada no parque nacional*: 17.000 pesos.
Duração: cerca de 4 horas e meia, com saídas às 15h (inverno) ou às 16h (verão).
*valores de fevereiro de 2017. Horários e preços variam.

Geysers El Tatio

Para se chegar aos gêiseres, saindo de San Pedro de Atacama, levam-se quase duas horas, em uma estrada sinuosa e sem sinalização. O fenômeno começa por volta das 6h da manhã e a temperatura se mantém, geralmente, abaixo de zero.

Geysers El Tatio // Isabella Noce Bicalho © Todos os direitos reservados.

Grandes jatos de vapor d’água escapam para a superfície através de fendas na crosta terrestre, atingindo a temperatura de 80°C e 10 metros de altura. Com o nascer do sol, os gêiseres agem com mais força. Numerosas placas advertem para não se aproximar muito do fenômeno, pois já ocorreram acidentes fatais.

Geysers El Tatio // Isabella Noce Bicalho © Todos os direitos reservados.

Após o café da manhã que as agências costumam oferecer, pode-se aproveitar uma piscina termal, no próprio campo.

Geysers El Tatio // Isabella Noce Bicalho © Todos os direitos reservados.

Mais tarde, passa-se por Machuca, um vilarejo com poucos moradores. Estes esperam pelos turistas que querem experimentar os espetinhos de carne de lhama e as empanadas de queijo de cabra.


Preço*: a partir de 30.000 pesos. Inclui café da manhã.
Entrada no campo geotérmico*: 10.000 pesos (estudantes têm desconto).
Duração: cerca de 7 horas, com saídas às 4h-5h e retorno às 11h-12h.
*valores de fevereiro de 2017. Horários e preços variam.

Tour astronômico

O deserto do Atacama é considerado um dos melhores lugares do mundo para se contemplar o céu. Para quem deseja um tour muito mais detalhado e científico, sugiro o do observatório SPACE (San Pedro de Atacama Celestial Explorations).

Para ir até lá, basta pegar um ônibus na esquina da agência. Quem recebe os turistas é a astrônoma Alejandra, que dirige o SPACE com seu marido e astrônomo Alain Maury.

Com um laser, ela aponta para cada região do céu e explica calmamente sobre as constelações, os signos e os planetas. A experiência encantadora continua quando somos incentivados a utilizar os dez telescópios que existem na área.

A terceira parte do tour é uma conversa com o astrônomo, dentro de um alojamento, acompanhada de chocolate quente :)

É no Atacama que também fica o Projeto ALMA (The Atacama Large Millimeter/submillimeter Array), o mais refinado e caro projeto astronômico do mundo.


Preço do tour astronômico com a agência SPACE*: 20.000 pesos, com transporte incluído.
Idiomas disponíveis: inglês, espanhol e francês.
Duração: cerca de 3 horas.
Observação: o tour não acontece nas noites de lua cheia e, mesmo com a reserva, depende das condições climáticas.
*valor de fevereiro de 2017.

Dicas para sua viagem ao Atacama!

  • Peça orçamentos por e-mail para agências de turismo de San Pedro, com antecedência. Pesquise a reputação de cada uma no TripAdvisor. Negocie o melhor valor. Relação de algumas delas: Lickan Antay, Ayllu, Flavia Bia Expediciones, Grado 10, Vive Atacama, Colque Tours, Sunaway, Turistour, Cosmos Andino.
  • Você também pode chegar em San Pedro, cotar e fechar os pacotes pessoalmente, mas é mais difícil conseguir passeios para o mesmo dia.
  • Caso necessite, alguns traslados podem ser feitos com as empresas Transvip e Licancabur.
  • Faça refeições leves e modere nas bebidas alcoólicas.
  • Beba água com frequência.
  • Respeite seu ritmo de caminhada.
  • Use trajes confortáveis. Passeios em altitudes mais elevadas exigem um vestuário mais completo, contendo um casaco pesado, segunda pele térmica, gorro, luvas e cachecol.
  • Tenha sempre um bom protetor labial, protetor solar, colírio e soro fisiológico para hidratar o nariz.

Pucón

No início da segunda semana de viagem, resolvi ir de ônibus à Pucón, a 780 km de Santiago. O trajeto dura 10 horas, mas as paisagens da região compensam.

Ali, hospedei-me por dois dias em um quarto duplo no hostel Carmen (R$ 45 / 9.300 pesos por pessoa), uma grande casa familiar transformada em hospedaria.

Pucón tem um forte apelo turístico por estar cercado pelo lago e pelo vulcão Villarrica. Embora ainda esteja ativo, é possível escalá-lo. Quem foi, diz que é uma experiência desafiadora e inesquecível.

Para outros tipos de aventureiros, a cidade disponibiliza atividades esportivas, incluindo esqui aquático, snowboard, rafting, trilhas e excursões a cachoeiras.


Valparaíso e Viña del Mar

Meu planejamento era voltar de Pucón à Santiago, pegar um ônibus e passar dois dias em Valparaíso e Viña del Mar. Porém, tive uma intoxicação alimentar que inviabilizou os dias finais da viagem.

Neste período, permaneci a maior parte do tempo no hostel Providencia. Cancelei a hospedagem nas outras cidades e paguei mais uma noite no mesmo hostel, que estava quase sem vagas (R$ 120 por pessoa / 24.800 pesos).

Para o último dia, decidi investir mais no hotel, sabendo do óbvio cansaço de duas semanas de mochilão. Na época da reserva, o CLH Suites Santiago estava com uma nota altíssima no Booking.com e um preço aceitável para uma diária em quarto duplo (R$ 64 / 13.200 pesos por pessoa). O espaço era realmente fantástico e confortável, na minha opinião de mochileira que está acostumada a dividir quarto com dez pessoas.


Mesmo sem ter ido a estas cidades, deixo algumas diretrizes aos interessados.

O jeito mais barato de se deslocar de Santiago à Valparaíso e Viña del Mar é de ônibus. O transporte é confortável e a rodovia é segura. As empresas mais conhecidas que fazem o trecho são a Turbus e a Condor. Os ônibus partem a cada 15 minutos, então, pode-se comprar os bilhetes na hora.

Em Viña del Mar, há quem goste de mergulhar nas águas geladas do Pacífico, andar pelas ruas repletas de árvores, admirar o Castillo Wulff e esperar o sol se pôr. Dentro da cidade, contudo, é onde o movimento se acentua.

As casas pintadas com cores vibrantes e os cerros tornam Valparaíso um destino único. Seus atrativos também são representados por alguns pontos turísticos, como a casa-museu de Pablo Neruda, La Sebastiana; o Museo Municipal de Bellas Artes; o Museo Marítimo Nacional e o Relógio das Flores.

¡Buen viaje!