Li: A Mágica da Arrumação

“Isto me traz alegria?”. É com essa e outras reflexões que a japonesa Marie Kondo nos ensina a deixar a casa (e, consequentemente, a vida!) mais organizada.

De maneira prática, ágil e racional, ela diferencia o essencial do supérfluo e explica como funciona a criação de uma consciência inédita em cada indivíduo.

Ao defender ideias como: arrumar tudo de uma vez, não guardar produtos em compartimentos, reunir artigos parecidos no mesmo local e selecionar bens que trazem muitas recordações somente na última etapa, a autora foge do senso comum. Para ela, a organização é uma ferramenta, não o objetivo final. É preciso descobrir a causa da bagunça.

Transformador ❤

Um dos destaques do best-seller é a maneira como ela dobra as roupas: faz com que as peças formem um retângulo e se mantenham em pé. Em seguida, são colocadas uma ao lado da outra no armário. Dessa forma, o conteúdo é visualizado como um todo e é possível escolher a roupa sem tirar as outras do lugar. Alguns itens se comportam melhor dobrados, enquanto outros foram feitos para um cabide. Esse aspecto também é importante observar.

“Não devemos celebrar as lembranças, mas sim a pessoa que nos tornamos por causa das experiências que tivemos.”

O descarte é um dos pilares do método de organização de Marie. Ao se desfazer de pertences, desenvolve-se a capacidade de decidir e descobre-se a quantidade suficiente de coisas que se deve ter.

Além dos benefícios evidentes de uma casa arrumada, a influência disso em outros aspectos da vida é inquestionável: renovação do fluxo de energia, melhora no autoconhecimento, na autoconfiança e na descoberta de novos interesses.

A mágica da arrumação vai além de saber o lugar certo para cada objeto. Ela surge a partir do momento em que se aprende a viver cercado apenas pelo que desperta amor e felicidade.