Uma hora vai explodir tudo isso

embora quisesse te dizer alguma coisa. as vezes eu prefiro o silêncio. prefiro ficar calado assim mesmo, esperando que as coisas se acertem por si só. sabendo que nada vai se acertar, sabendo que ninguém vai nos procurar. mas eu prefiro insistir, olhar sobre os ombros alheios, procurando algum rastro. ontem quando fui dormir te mandei uma mensagem, uma forma desequilibrada de tentar fazer você lembrar de mim. mas fracassei, você sequer visualizou a mensagem. sabe? eu queria mesmo, esperar algum tempo, te procurar depois de tomar alguma coisa. não que eu precise de coragem, diante de você sempre acabo meio tremendo, ainda mais quando você chega perto do meu rosto, e eu jurando que você quer me beijar, mas você só quer falar alguma coisa que ficará entre nós. não sei porque você constrói esses segredos, como se de alguma forma essas coisas inúteis nos ligassem. como se isso fosse a justificativa final pra eu não te deixar sozinha bebendo o ultimo gole de cerveja, enquanto levanto pago a conta e vou embora, sem arrependimento. você sabe (e talvez seja essa a minha tragédia) que eu voltaria, te pediria desculpa. e você continuaria manipulando esses sentimentos confusos, enquanto isso, eu prefiro desprezar essa confusão, deixar que ela se confunda ainda mais, uma hora vai de explodir tudo isso. sempre gostei de explosões, embora tenha medo de provoca-las. prefiro que surjam, sem preferir como. o que a gente, impertinentemente, resolve chamar de amor, é uma explosão. vivemos nos escombros desses sentimentos. vivemos da lembrança das suas luzes, do seu impacto, vivemos a sombra da sua destruição. eu preciso falar entre mistérios para que você me entenda. ou talvez para que eu entenda. prefiro não saber de onde vem essa incompreensão. talvez todo esse desentendimento seja fruto da tentativa de entender. e por isso recusar a lógica seja o único ato que remeta à alguma sanidade (embora tenha medo dessa palavra). a hora de dormir se estende indefinidamente, enquanto o tempo se arrasta. eu só queria te dizer algumas coisas, todas elas, ou só aquelas que me importam no momento. mas você foge pelo único caminho que te ensinei.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.