O dia em que papai acabou com meus sonhos

Quando se é pequena nós temos muitos sonhos, o céu é o limite para nós, eu com 10 anos tinha o sonho de ser médica, não médica para ser rica e sim para ajudar os outros, eu tinha o sonho de ir para a África, ajudar a acabar com a fome, ajudar quem precisava de um médico, eu só queria ajudar alguém sem receber nada em troca, esse era meu sonho.

Ao 15 anos eu havia mudado de ideia, queria me tornar advogada, eu desde pequena assistia aqueles desenhos de super herói e eu desejava estar no lugar deles, queria lutar contra o mal, queria lutar contra os caras malvados, infelizmente não tenho super poderes mas eu sempre achei que sendo advogada eu conseguiria de alguma forma acabar com o mal de alguma pessoa e ajudar ela a ficar melhor.

Eu nunca quis ser rica, eu nunca quis ser famosa muito menos bem sucedida, desde pequena eu sinto que minha função no mundo é ajudar os outros, é ser aquele tipo de pessoa que mesmo um pouco consegue afastar o mal de alguém.

Então chegou o grande dia de falar para meu pai que queria ser advogada, porque assim eu poderia ajudar as pessoas, ele ficou feliz quando eu decidi ser advogada, garanto que quando falei isso para ele, ele deve ter me imaginado como uma grande juíza ou uma advogada mega requisitada, tolo ele, eu não queria e ainda não quero nada disso.

Mas quando eu falei ‘Pai eu quero ser advogada para ajudar quem precisa’, meu pai então olhou para mim, balançou a cabeça e disse “ Pare de pensar desse jeito se não quiser passar fome, você não pode ajudar as pessoas”

Aquilo acabou comigo, eu deitei na cama e chorei, chorei muito, então quer dizer que a unica coisa que sinto vontade de fazer eu não vou conseguir porque se não eu passarei fome? Papai, esse dia você acabou comigo.

Hoje, um pouco mais velha e mais madura e adivinhem? Cursando direito, eu penso que meu pai não foi inteiramente maldoso comigo, eu sei que o sonho de todo o pai é ver seu filho bem sucedido mas aquilo não era a minha vontade e dentro de mim a vontade de um dia ser a heroína de alguém ainda está guardada, papai pode ter destruido meu sonho aquela noite mas eu sei que sou forte e pouco a pouco vou juntando os pedaços afim de deixar aquele sonho puro de criança intacto novamente.

Um dia você vai me ver nos lugares papai, as pessoas vão falar de mim sim, mas não pelo meu poder, não pelo meu dinheiro e sim pela bondade que eu deixo escondida dentro de mim para você não destruí-lá

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.