Caro autor, como disse em seu texto ‘‘nunca me senti tão fraco e desanimado em toda minha vida. Sem falar que eu nunca me sentia plenamente saciado com a alimentação e acabava por comer muito. E isso que substituía a carne animal por carne de soja, bebia muito leite, comia queijos, enfim. Quando voltei a comer carne, foi um enorme alívio’’. Primeiramente, não há incentivo suficiente na sociedade voltado para o vegetarianismo ou veganismo, já que o mercado de carnes é muito forte. Ao aderir à ideologia, é necessário, sim, substituir as proteínas e substâncias que contêm nas carnes, já que o nosso corpo se adaptou com este consumo, e quando sente falta, podem aparecer no corpo sintomas como cansaço e fraqueza, devido a ‘’falta de ferro’’.

É comprovado que inúmeros alimentos vegetais substituem a proteína da carne, tal como brócolis, cogumelos, feijões, entre outros, sem contar as proteínas artificiais que a ciência está desenvolvendo. Comemos carne devido à nossa cultura. Porém, é necessário? Porque aderimos alguns animais como ‘’pets’’ na nossa rotina — cães, gatos, coelhos — e outros sofrem com o abate? Há pessoas que tratam seus ‘’pets’’ como filhos e não enxergam uma ovelha da mesma forma, por exemplo. Usamos eles de alimentos, de vestimentas. Se desde cedo tivéssemos nos adaptado ao consumo de vegetais, proteínas vegetas e carboidratos, nosso corpo poderia não sentir a ‘’falta da carne’’, é questão de se adaptar à rotina. Por outro lado, há pessoas que necessitam realmente — anêmicas — que devem consultar um médico para substituir adequadamente.

Para finalizar, Marco Springmann, pesquisador no programa Future of Food, da Universidade de Oxford, realizou uma pesquisa e os resultados indicam que, ‘’graças à eliminação da carne vermelha da dieta, as emissões ligadas à produção de alimentos cairiam 60%. E se o mundo todo passasse a ser vegano — sem consumir nenhum produto de origem animal — a queda seria de 70%.’’. Ou seja, descata a importância que as emissões relacionadas à produção de alimentos terão impacto no futuro.’’ Se todos nós virássemos vegetarianos, em um mundo ideal, nós dedicaríamos 80% dos pastos ao reflorestamento, o que aumentaria a absorção de carbono e aliviaria as mudanças climáticas.

Isabela Funari

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.