Mostre a que veio!

No caminho para a minha faculdade tem uma placa enorme com os seguintes dizeres:

QUEM NÃO É VISTO NÃO É LEMBRADO.

Pois bem, a placa sugere que os motoristas liguem os faróis dos carros ou algo do tipo. Para mim, trouxe um pouco de reflexão, já que tenho um medo absurdo de morrer sem ser lembrada — ou pior, viver sem ser lembrada.

Contraditóriamente, não costumo fazer nada para ser vista. Não mando mensagem para aqueles que não vejo há tempos, não demonstro interesse nas pessoas que conheço e não me esforço para agradar ninguém. Ver essa placa todos os dias me fez repensar algumas atitudes.

Venho trabalhando meu cérebrozinho de ariana para não me achar inferior por mostrar que estou afim de certa pessoa ou por dizer que sinto falta de alguém que não sente tanto assim. Sabe, a vida é tão curta para a gente não mostrar que passou por ela, né?

O que eu quero é fazer e deixar lembranças, coisas boas para alguém. Quero que quando toque uma música, alguém lembre que conheceu ela em um bar bizarro, junto comigo. Quem sabe, ouvir um “você me ajudou” em tal coisa ou “você faz isso muito bem” seja lá no que for.

Se você sente e não demonstra, é como se não sentisse. Se quer algo e não pede, é como se não quisesse. Se pensa e não diz, é como se nunca tivesse pensado. A poeira das estrelas que te formam não estão aqui a toa, você deve mostrar que está aqui, que vive e que sua passagem por esse mundo está acontecendo!

E no futuro, próximo ou distante, lembrarão quem é você.

PS. Seja a Beyoncé e cante I Was Here.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.