Restam sombras

foto de família

olha lá quem já foi, quem já não é mais.

nos corredores da casa existem sombras

de quem já não existe, a não ser nas lembranças.

na fotografia, no livro, na dedicatória à mão

nas folhas secas nos cadernos de recordação

há vestígios nos quartos e no antigo colchão

no bordado da toalha, na cadeira empalhada

no porão.

há um cheiro de outrora que fica forte

nas mãos

que tocaram, que sentiram num passado

ainda vivo

pela memória que revive

o que já não existe

restam sombras

restam sobras


Se você gostou dessa poesia dá uma clicada no coraçãozinho verde, me conta o que achou no balãozinho dos comentários. Apareça! Adoro uma boa conversa. Como se diz aqui onde eu moro: “se aprochegue, não se acanhe não!”

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.