(Imagem: Emiliano Ponzi)

Rima, menina!

Rimo amor com dor
Felicidade com cidade
Enfeito minhas frases

Meus versos são simples
E as palavras são poucas
Escrevo para não ficar louca

E no fim de cada poema
Quando descanso enfim a pena
Me sinto boba

Não sei o que faço com as rimas
Se jogo todas para o ar
Se as troco de lugar

Que posso fazer?
Mal começo a escrever
As palavras se combinam

Ai de mim!
Ai que fim!
Sou assim!


Gostou dessa poesia? Dá uma clicada no coraçãozinho, me conta o que achou no balãozinho dos comentários.

Faça com que essa publicação chegue a mais pessoas! Apareça! Adoro uma boa conversa. Como se diz aqui onde eu moro: “se aprochegue, não se acanhe não!”