Somos caos

“O bater de asas de uma borboleta no Brasil pode desencadear um tornado no Texas.”

Imprevisíveis, não deterministas a longo prazo,
Somos suscetíveis as mais variadas mudanças.
Dinâmicos, não estáticos,
Qualquer decisão pode mudar o rumo de nossas andanças.
“Suas escolhas fazem você”.

Uma sequência de eventos pode alterar toda uma vida,
Seus amigos, filhos, netos e esposa serão definidos por uma escolha.
Jogados ao acaso, como o cair ou não de uma folha,
Definimos nossa própria lida.
Sensíveis às condições iniciais,
Somos o fruto do caos.
O caos molda o universo,
Jogando sobre nós toda a imprevisibilidade,
Com eventos aleatórios mudando nossa trajetória.
Cada caminho, cada possibilidade,
Nos leva a uma nova história.

Qualquer pequenina mudança,
Pode resultar em um futuro diferente,
Ainda, por mais incrível que seja,
Não haja alteração aparente.
O caos está presente,
Talvez você não o veja,
Mas, esteja ciente,
O caos molda nossas vidas constantemente.

Somos a escultura constante de um artista imperceptível,
Uma ordem, padrão que rege todas as coisas,
Inclusive o desenrolar de nossas vidas.
Somos caos.

O bater de asas de uma borboleta no Brasil pode desencadear um tornado no Texas.

O poema se baseia na teoria do caos, proposta inicialmente por Edward Lorenz, no início da década de 1960. Leia mais neste link.