Eu queria tanto te perguntar como voce tá
Se o riso da morte gargalhou doce
Ou se espantou o eco que fez
No buraco oco dos órgãos de amor

Daqui os prendedores continuam tapando os dias
Vinte e sete quilômetros não secaram o sol
A música engoliu as frestas
Só sobrou espaço para mais um.

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Isadora Barretto’s story.