Ode do ansioso

Quem sou eu além dos meus desejos?

Dos meus medos, dos anseios e da frustração.

Quem sou eu além da insônia, dos farmacos

Da frustração.

E além da ânsia pelo existir quem sou eu além da projeção? Sou vontade e sou fracasso

Sou aceitação ou talvez a busca inquieta.

Talvez remorso ou rancor.

Eu sou?

Ou apenas, protecionista que sou isso tudo queria ser.

Porque o vidro rígido que me permeia isola a minha calmaria.

Escondida pela máscara da inquietação.