Fragmentos da geração que nunca termina

Sou ins e ás. Sou impaciente, indecisa, acelerada, ansiosa. Sou toda Y

Sobre trabalhar: Amar o seu trabalho vai além de gostar do que você faz - é um misto de confiar nos seus colegas, de acreditar no por que você faz o que faz e, principalmente, de se sentir bem no final do dia. Finalmente, dentro do mercado de trabalho há quase quatro anos, senti esse prazer. Uma vontade imensa e sincera de sair gritando: "eu amo meu trabalho". Demorou tanto. Por que demorou tanto? Será que demorou mesmo?

Sobre ser milênio: Faço parte da geração que se entedia rapidamente. Não poderia ser diferente diante da velocidade em que as coisas acontecem. Não sabemos apreciar o tempo. Na mesma rapidez em que a sua timeline se atualiza, atualizamos os nossos gostos, interesses e esforços. Basicamente, somos super-ótimos em começar. Mas nos entediamos logo. Nos contentamos em ser péssimos no continuar e… nunca terminamos nada.

Sobre a grandeza: Queremos provocar impactos instantâneos, ser grandes. Quantas vezes pensamos em sair dos nossos trabalhos porque não eram o que 'queríamos para a nossa vida'. E quanta vida há de ser vivida para que a gente entenda que todos nossos feitos nunca serão descartáveis, que temos muito chão pela frente? Temos uma missão. Temos uma razão. Temos um longo caminho a trilhar.

Sobre o Mindfulness: Só existe o agora. O tempo torna-se descartável.

Sobre começar: Somos uma coleção de começos com tanto a oferecer. Uma pena. Fechamos impulsivamente as janelas do que já não faz mais sentido, mas quanto é preciso ser investido para entender o que faz ou não sentido? Temos um leque de opções invejáveis, que nossos pais e avós não tiveram. Temos muitas possibilidades, mas nenhum foco. Nos falta profundidade. Somos começos infinitos.

Sobre o fim: É preciso muito treino, muita prática, muita força de vontade para chegar ao fim. Faculdades levam pelo menos quatro anos, porque queremos encontrar o emprego dos sonhos em quatro meses? Essa é a permanência naquele trabalho que não te realizou. Quando vamos perceber que realização pessoal demanda paciência, sacrifícios, experiência, bagagem, auto-conhecimento?

Sobre eu, sobre você: Seja mais persistente, aprenda a lidar com as frustrações, dê tempo às suas vivências. Não se deixe mover somente por aquilo que não te aconteceu ainda, porque o que você tanto espera pode nunca acontecer. Tenha em mente que os seus sonhos podem mudar. Seja corajoso, seja humilde. Agora é a sua hora de aprender, de se comunicar, de testar e também de negociar.

Sobre nós, Y: Seja mais humano e mais gentil consigo mesmo. E seja agora, não ontem e nem amanhã. Só temos o hoje. Por isso, lembre-se de parar por um instante. Escute. Reflita. Respire. Termine. Tudo tem seu tempo.

Se você gostou desse texto (ou de outro), te peço com carinho para clicar no coraçãozinho ❤ . Assim eu vou saber o que você curte, além de aumentar a chance de outras pessoas encontrarem meus textos por ai. Super obrigada!