Cada dia um pouco…

Uma historinha sobre a necessidade de desacelerar

Não é de hoje que uso a escrita como um meio de me compreender e organizar minhas ideias e sentimentos. Inclusive, super recomendo à você!

Antigamente tínhamos um certo preconceito com diários ou coisa do tipo, mas basta um pouco de maturidade, sapiência e sagacidade pra ver que eles são muito bons.

Hoje, 4 de Novembro de 2016, um sábado, cá estou eu. Eu ia fazer o Enem em busca de uma vaga em alguma universidade, mas nesse momento já é perto de meio dia — horário em que os portões se abrem — e eu não saí de casa. Já podemos considerar um fato que desisti de fazê-lo.

O grande lance é que não me senti preparado. Não só para fazer o Enem, mas pra vida na universidade novamente. Eu saí da UFAM no final do terceiro semestre com a promessa de que iria buscar um curso mais alinhado com meus objetivos e que iria concluí-lo com maestria (não me julguem esnobe, só quero fazer bem feito).

Pois bem. Indo um pouco para trás na linha do tempo, lembro-me de uma coisa que minha mãe sempre falava:

“(…) cada dia você faz um pouco.”

Minha mãe sempre foi ligada em artesanato, coisas manuais, etc, então ela sempre tinha várias coisas pra fazer, pra ela, era seu método. Ia na calma, uma hora ela terminava e tudo ficava bonito!

Pra ser sincero, não ia de encontro com essa ideia, parecia fraca. Queria fazer logo e ter o resultado o quanto breve. Com o passar do tempo essa ideia sumiu da minha cabeça e lá estava eu cheio das coisas pra fazer e tudo parecia muito pesado pra mim.

O lance é que a gente precisa desacelerar se quisermos nos dedicar à aquilo que gostamos e queremos um resultado bem lapidado. E isso quer dizer que devemos fazer uma coisa por vez ou um pouco a cada dia e eliminar algumas coisas como desorganização, ansiedade, desespero e outras coisas que não permitam que X experiência seja leve e tranquila.

E foi por isso tudo que desisti de fazer o Enem. Porque por mais que eu conseguisse uma vaga, não faria daquilo a experiência que quero. Ainda é preciso consertar algumas coisas.

É fato que nunca será perfeito, mas utopia serve pra isso, para termos um alvo e fazer o melhor que pudermos para alcançá-lo.

Então vá com calma, um passo de cada, mas cada um bem dado, com os pés firmes no chão. Quando menos esperar, terás construído uma trajetória sólida.

Como eu sei disso? Eu não sei, mas acredito que é assim que deve ser. E se não acontecer, não era hora. Se acontecer, não poderia ser diferente.

Comenta aí, conte uma historinha também! ;)

#FocoNaMissão