Você é do tamanho do seu sonho.

  • ou “o que a 1Kilo tem em comum com a Fresno”

O título desse texto se refere ao cypher que me inspirou essa semana, juntamente com a entrevista da 1Kilo.

Foi uma semana estressante e frustrante em diversos sentidos, mas que acabou por ser reveladora para mim e me transmitindo um novo fôlego. A 1Kilo surgiu da vontade de garotos de transformar o rap em algo ouvido por nichos em um negócio de qualidade e em um ano, eles merecidamente tomaram o topo e se você entrar no Youtube brasileiro agora, provavelmente vai ter um vídeo da 1Kilo nas suas recomendações. Um ano, pessoas dispostas a compartilhar esse sonho, música nova lançada praticamente toda semana e muito, mas muito trabalho.

Existe uma frase da Fresno que diz: “Chegou a hora de ser maior que as muralhas”, e eu sempre levei isso como um hino quando tudo se esgota e só dá vontade de eu esquecer que não tenho quatro mil pra minha família bancar um funeral. Todo mundo que me conhece, ou ao menos quem leu meu primeiro texto aqui, sabe que eu tenho uma conexão praticamente religiosa com a música. Desde muito pequena, sempre foi assim. Eu olhava os músicos tocando no culto e eu queria estar ali, eu estive ali. Eu olhava as bandinhas lançando músicas legais que eu gosto de ouvir, eu encontrei amigos incríveis e a gente montou uma bandinha que está para lançar músicas muito boas (e, dessa vez, muito bem trabalhadas) que as pessoas vão gostar de ouvir. E eu tenho visto que este último biênio se mostrou muito propício para a difusão de selos independentes, o que por sinal é uma coisa incrível pois desde o meio dos anos 2000 não se vê uma produção e projeção das bandas do Rio de Janeiro como está sendo atualmente e isso é lindo (2013 era um limbo, não tinha quase nenhuma banda aqui para se referenciar ou para ter um networking ou até mesmo uma amizade, quem está fazendo isso no alternativo desde essa época sabe que até no próprio meio “do rock” ocorria um preterimento).

Mas, ao mesmo tempo em que é um momento lindo, é um momento de pensar se eu quero ver tudo isso ser feito e ver o momento passar mais uma vez ou se eu quero fazer parte disso e trazer a minha cidade para esse circuito. Ao lidar com cultura na Baixada Fluminense e, especificamente em Nilópolis (onde eu sou criada desde que me entendo por gente), dá para contar na mão as opções de cultura e entretenimento da cidade. A Secretaria de Cultura não tem dado assistência sequer a sua sede ou à Escola de Teatro (e, quando eu fui estudante da Escola Municipal de Música, nem a ela) em diferentes gestões. Um teatro foi demolido para dar lugar a uma lona cultural que nunca saiu do papel, a Cultura é desincentivada de todos os modos possíveis aqui. Portanto, é tanto uma necessidade do circuito quanto da cidade contar com mais uma opção. Todas essas muralhas ao redor só servem para demonstrar ao que nós devemos ser maiores. Tendo uma rede social que tem sido maravilhosa comigo até então, tanto a minha banda principal (Unicórnio Maravilha), quanto a minha banda paralela (Moletom), os amigos da Coronel Soares que tem somado esforços comigo, a Alexis, o Rodrigo Cardoso e todos os que ainda se somarão a essa iniciativa; o tamanho do meu sonho é ser maior que as muralhas das dificuldades e da falta de incentivos. E é assim que está nascendo o sonho da Esbórnia Records e nascerão muitos outros daí.

E citando outra personalidade do rap (o modo que o rap me ensina coisas e me motiva a cada dia é quase terapêutico), o Emicida diz numa música que “você é o único representante do seu sonho na face da Terra”. Eu sei, eu não sou a única pessoa do mundo a querer movimentar a Cena, mas de modo específico na minha cidade, com as minhas vivências, perspectivas, conquistas e frustrações pessoais… Sim. Mas existem outros sonhadores, e são esses outros sonhadores que eu quero atingir, e colaborar com a prática do meu sonho e de sonhos ainda maiores, porque a gente só para de crescer quando para de sonhar.

Espero que você, que está lendo esse texto, queira sonhar comigo também.

links:

Entrevista da 1Kilo - Por Wesley Brasil

Fresno - “Maior Que As Muralhas”

Emicida e Rael - “Levanta e Anda”

MAIS UMA SUGESTÃO MOTIVACIONAL:

Sain e Luccas Carlos - “Mil Planos”