Hurricane

Lembro que na época em que foi lançado (2010), achei bem intrigante, curioso e interessante por se tratar de um clipe onde o mesmo possui quase 14:00 minutos de historia (13 minutos e 12 segundos para ser exato), sendo que a música em si tem quase metade disso. A banda é 30 Seconds To Mars, que particularmente gosto muito e já vi clipes ótimos e bem trabalhados deles como “The Kill”, que possui referências do filme O Iluminado, que assim como no filme, a historia se passa em um hotel. No decorrer das cenas, os outros integrantes da banda passam a ver coisas não existentes dentro do hotel e Jared Leto se vê em um confronto com ele mesmo.

Foto da banda 30 Seconds To Mars.

Mas voltando para o assunto principal desta publicação: “Hurricane”. Creio que chamá-lo de clipe não é ideal, visto que possui um enredo, uma historie e alguns bons minutos, então vou chamá-lo de curta metragem, que segundo pesquisas significa: “filme com duração de até 30 minutos, de intenção estética, informativa, educacional ou publicitária”.

Hurricane é cheio de simbolismo e mensagens subliminares, o que a primeira vista pode parecer uma estética confusa e sem sentido.

Tudo começa com o título da música e logo embaixo, a frase “Isto não é a realidade, isto é um sonho”.

Dividido em três capítulos: nascimento, vida e morte. Com pegada sexual e cenas de sadomasoquismo retratando o fetichismo, dominação, submissão, violência e indícios que apontam ao poder do controle mental, representado pelo ratinho branco no quarto de Jared, no qual o mesmo se encontra dormindo enquanto Jared também dorme e, quando o mesmo acorda devido ao barulho de alguém batendo na porta, a câmera foca em um plano médio o ratinho correndo, simbolizando adrenalina e perigo. É como se Jared tivesse controle pelo ratinho, que aliás se parece muito com aqueles usados em pesquisas de laboratório, o que causa outro indício de poder e controle.

E assim se desenrola a historia, seguindo seus três capítulos onde em cada um deles, os três integrantes da banda se deparam com cenas e personagens inesperados, tendo de lutar entre si ou entre seus comparsas, conquistando um cordão vermelho com uma chave que, quando colocada neles representa o poder de controle e a força de cada um. Inclusive em uma das últimas cenas, onde Jared Leto luta com o homem mascarado (seu dominador) que, no começo pulou a janela para fugir, mas após percorrer a cidade, ser preso em um caixão pelo mesmo homem e conseguir se libertar, controla sua mente e usa sua força travando uma luta e conseguindo derrotá-lo.

Por fim, uma voz feminina recita um poema de Edgar Allan Poe:

“Deep into that darkness peering, long I stood there wondering, fearing, Doubting, dreaming dreams no mortal ever dared to dream before “ — Edgar Allan Poe.