O doloroso processo de fazer o que você não quer

A vida inteira ouvimos frases de incentivo, do tipo: “seja você mesmo.”, “faça aquilo que tem vontade.”, “a vida é muito curta para não fazer o que gostamos.”.

Mas, e quando você percebe que não é bem assim?

Pois é, amigo. Seu castelo desmorona.

Você, que sempre levou esses mantras a ferro e fogo. E que, por isso, nunca ouviu muito o conselho dos seus pais e amigos. Sempre preferiu fazer as coisas do seu jeito, seguindo o seu coração. De repente descobre que, mesmo assim, chegou num lugar que não gosta muito.

E agora, José?!

E agora que talvez seja hora de rever alguns conceitos. Ou melhor, de ir contra eles com golpes marciais.

Talvez seja hora de fazer o que você nunca quis, tentar o que nunca tentou e ir contra o seu coraçãozinho, porque — sinto informar — ele pode estar errado.

É aquele momento que você está 15 quilos acima do peso. Mas sempre detestou academia e dieta.

Que tem que aceitar o fim de um relacionamento, mas ainda tem esperança.

Que precisa de dinheiro, mas não quer trabalhar com o que não gosta.

Essa é a hora que seu coração te engana.

Que sua vontade é inversamente proporcional ao que você tem que fazer.

E é também a hora que você mais precisa fazer.

Sim, é isso mesmo. Você PRECISA aceitar que a única saída, a única chance de melhora, é tomar a decisão mais racional e deixar o sentimento um pouco de lado.

“A única razão para fazer a coisa certa é que essa é a coisa certa a fazer; todas as outras razões são razões para fazer alguma outra coisa.” F. M. Cornford

É nessa hora que os conselhos que você menos quer ouvir são os que mais precisa.

E é claro que, se você está passando por isso, deve estar balançando a cabeça nesse momento, pensando que todo esse texto é uma grande besteira.

Mas, posso falar por experiência própria (e bota experiência nisso)?!

Você não vai perder 15 quilos se não fizer exercício e se alimentar melhor. Você PRECISA levantar da cama todos os dias (ou pelo menos umas 3 vezes por semana), colocar uma roupa confortável e ir para a academia (ou parque ou seja lá o que for) mesmo com toda a falta de vontade do mundo.

Você não vai esquecer aquela pessoa se não liberar espaço na sua mente. E isso significa sim deixar de ter esperança. Porque esse é um dos poucos momentos da vida em que a esperança mais atrapalha do que ajuda. Ela faz você ficar preso ao passado, se humilhar, esquecer o amor próprio e ainda perder oportunidades que poderiam ser portas para um novo amor.

Então, sim, contrariando todos os seus sentimentos, pega a chave desse relacionamento (junto com todos os papinhos furados, as conversas de whatsapp e as stalkeadas no Facebook) e joga fora, bem longe mesmo. Não, não, mais longe ainda. Pronto. Agora sim.

E amigo, é a realidade dura, mas verdadeira: trabalhamos para ganhar dinheiro. Então, se você não nasceu em berço de ouro, nem é filho de político, precisa trabalhar para conseguir a tão desejada independência financeira (ou pagar as contas no final do mês e o juros do cheque especial).

É o sonho de todo mundo — ou pelo menos da nossa geração — ganhar dinheiro fazendo o que ama. Mas, como acaba de provar o tópico anterior, amor nem sempre é o suficiente.

Nada te impede de tentar, seguir seu sonho, ganhar o pão de cada dia com o trabalho da sua vida.

Mas, não deixe isso te aprisionar. Nem te paralisar. O tempo passa. E, infelizmente, dinheiro é liberdade. E você vai precisar dele até para seguir a carreira dos seus sonhos.

Então, se você está precisando de dinheiro, deixa o sonho um pouco de lado e vai atrás de engordar sua conta.

Dolorido isso. Até difícil de escrever. Mas pensa positivo. Com dinheiro você tem liberdade, não depende de ninguém, pode construir sua própria história e, se souber poupar e tiver um pouco de ajuda do universo, logo logo vai ter o suficiente para tentar de novo e de novo e de novo.

Sempre vale a pena correr riscos pelos nossos sonhos.

Mas é importante garantir que nossa vida não desmorone caso não dê certo.

E é aí que mora o maior dilema da vida adulta.

Mas, uma coisa é certa: focar seu pensamento no que você não quer fazer só vai impedir que você encontre soluções e te deixar mais longe de conseguir o que precisa.

Aceita, amigo, aceita que dói menos.