Interatividade na comunicação: as mídias sociais na promoção da causa animal

As mídias sociais — sites e aplicativos que permitem interação e compartilhamento de conteúdo entre os usuários — se tornaram, nos últimos anos, ferramentas importantes para a promoção de novas formas de interação e de comunicação entre as tradicionais redes sociais, sejam elas na relação com outras pessoas e, também, com empresas e organizações do terceiro setor.

Tais ferramentas foram responsáveis por uma transformação na comunicação, conforme explica Alves (2018): “A globalização e as recentes transformações nas tecnologias de comunicação têm criado fenômenos tais como o das mídias sociais, que por sua vez estão alterando relações importantes no mercado. O ambiente digital, por meio das mídias sociais, transformou a comunicação das empresas com os clientes, proporcionando interatividade por meio de suas ferramentas.”¹.

Diversas entidades e organizações não-governamentais (ONGs) têm utilizado o poder de fala nas mídias sociais, proporcionando além da ampliação do público em potencial, o maior engajamento das pessoas na causa. É o caso das ONGs protetoras de animais. Em Salvador, as organizações de maior credibilidade já utilizam o Facebook e o Instagram como forma de ampliar o número de doações para a manutenção dos abrigos, de divulgar eventos e promover a adoção responsável de cães e gatos.

Uma das organizações que transformou as mídias sociais em importante aliado foi o Abrigo São Francisco de Assis (@abpabahia), entidade não governamental e sem fins lucrativos mantido pela Associação Brasileira Protetora de Animais — Seção Bahia (ABPA). Nos últimos anos, a entidade, que contava apenas com um site, teve que se adaptar à nova realidade da internet e investiu em contas no Instagram e no Facebook. Por meio destes canais, a ONG divulga as feiras de adoção, que acontecem regularmente na capital, animais que estão aptos para adoção e promovem campanhas para arrecadação de donativos para o abrigo, que conta, hoje, com mais de 600 animais abandonados. Atualmente, os perfis da ABPA nas mídias sociais contam com mais de 16 mil seguidores e são atualizados diariamente pela equipe de comunicação da entidade.

As mídias sociais também se tornaram uma ferramenta fundamental para o trabalho da ONG Sotero Bichanos (@sotero.bichanos), que é voltada para a adoção responsável, resgate e esterilização e devolução de colônias felinas de Salvador. Nas postagens no Facebook e Instagram, os responsáveis pela entidade, além de divulgarem animais a serem adotados e clínicas que oferecem serviço de castração a preços populares, prestam contas dos recursos arrecadados por meio das doações. A entidade também faz uso de promoção de conteúdo pago para ampliar o alcance das postagens dos perfis. A Sotero Bichanos conta, hoje, com mais de três mil seguidores no Instagram e, assim como a ABPA, tem atualizações diárias sobre temas referentes à causa animal.

O Clube dos Vira-Latas (@clubedosviralatas), ONG de alcance nacional, tem colhido os frutos do investimentos nas mídias sociais. Hoje, a entidade já reúne, somente no Instagram, mais de 14 mil seguidores. A página tornou-se referência entre o público engajado na causa animal por trazer não somente informações sobre campanhas de arrecadação de donativos , mas também por compartilhar histórias sobre adoção de cães e gatos.

Vimos, portanto, que o investimento em comunicação por meio das mídias sociais é fundamental para que as organizações do terceiro setor possam não somente divulgar a atuação, mas também sensibilizar pessoas para as respectivas causas. O uso consciente das ferramentas digitais ampliam o alcance dos conteúdos produzidos, permitindo que mais pessoas tenham acesso às informações e, também, outras sejam conscientizadas sobre a importância da proteção animal e a luta contra o abandono. Estar conectado com estas novas ferramentas também configura-se como uma maneira de manter o público que já conhece a entidade mais próximo do trabalho que é realizado, angariando voluntários e potencializando o trabalho de proteção realizados pelas organizações.

¹ ALVES, Anadelly Fernandes. Mídias Sociais e Marketing Digital: um novo modelo de comunicação entre empresa e consumidor. Disponível em: <http://www.portalintercom.org.br/anais/nordeste2013/resumos/R37-0164-1.pdf> . Acesso em 04/07/2018.

Texto escrito por Ítalo Oliveira de Jesus e Luana Almeida Oliveira para disciplina “Sociedade da Informação, Novas Mídias e Cultura Digital”, da especialização em “Comunicação e Marketing Digital” da UCSAL.

Professor: Vicente Aguiar.