7 coisas que só quem foi uma criança dos anos 1980 e 1990 vai entender

Bote o disco de vinil para tocar, não esqueça de programar o VHS para gravar e torça para que a conexão da internet não caia ;-)

Prontos para uma viagem em direção ao passado? Para celebrar o dia das crianças, fomos atrás de uma variedade de referências nostálgicas que embalaram os anos 1980 e 1990.

São brinquedos, programas de TV, séries de livros e até elementos típicos do cotidiano. Embaixo de cada tópico, uma dica para você aproveitar a data em espaços como o Itaú Cultural, Espaço Itaú de Cinema e até com as nossas laranjinhas.

Nos comentários, conte pra gente: quais desses tópicos acabaram marcando a sua infância?


#1. Os programas educativos eram realmente educativos — e divertidos

Castelo Rá-Tim-Bum, Balão Mágico, TV Colosso, Bom Dia e Cia, X-Tudo, Glub-Glub e Fofão. Se você cresceu nos anos 1980 e 1990, provavelmente passou algumas horas em frente à TV assistindo a esses programas. Manhãs e tardes repletas de histórias, experiências, desenhos e atividades pensadas para estimular a imaginação das crianças.

Em busca de um canal tão divertido e informativo quanto os clássicos da TV Cultura? Seja bem vindo(a) ao mundo infantil do Itaú Cultural com o ratinho Bartô.


#2. Um mundo de averntura com os livros da Série Vaga-Lume

Reprodução

Lançada no começo dos anos 1970 pela Editora Ática, a Série Vaga-Lume foi planejada como uma forma de estimular a leitura para crianças e adolescentes. Entre os clássicos da coleção, livros como O Escaravelho do Diabo (1974), de Lúcia Machado de Almeida, e O Mistério do Cinco Estrelas (1981), de Marcos Rey. Qual era o seu favorito?

Ler para uma criança amplia o desenvolvimento do vocabulário, estimula o raciocínio e fortalece a relação entre o adulto que lê e a criança que escuta. Leia para uma criança #IssoMudaoMundo


#3. Tamagotchi, minigame ou aquaplay?

Reprodução

Mega Drive, SNES, Game Boy, Nintendo 64, Playstation… Não faltaram grandes consoles e clássicos do entretenimento eletrônico durante as décadas de 1980 e 1990. Todavia, poucos jogos foram tão marcantes para o período quanto os famigerados Tamagotchi — o “bichinho virtual” — e os minigames, com seus milhares de jogos em um único aparelho. E quando acabavam as pilhas o jeito era se divertir com o aquaplay:

Em busca de inspiração para as crianças? Baixe agora o novo aplicativo do Itaú Criança. Nele você encontra o banco de inspirações, com diversas atividades para desenvolver com os pequenos. Na dúvida, nada melhor do que desbloquear a sua laranjinha e passear pela cidade.


#4. Coleções, muitas coleções

Tazos, garrafinhas de refrigerante, cards, ioiôs, geloucos, figurinhas, álbuns e incontáveis miniaturas marcaram a infância de qualquer um que cresceu nos anos 1980 e 1990. O melhor de tudo eram as brincadeiras, disputas e trocas na escola para ver quem completava a coleção primeiro. Hoje em dia, algumas dessas coleções completas valem verdadeiras fortunas.


#5. Netflix? DVD? Blu-Ray? Que nada! O negócio era VHS

Seja para assistir aos clássicos da Disney — como Rei Leão, Bambi e Cinderela — , ou para acompanhar as últimas “novidades” do Cinema e TV, o jeito era correr atrás da locadora mais próxima e alugar uma fita VHS. Pensou em alugar fitas com grandes lançamentos? Só depois de esperar em uma longa fila de espera. Quem nunca esqueceu de rebobinar a fita na hora de devolver para a locadora e acabou levando multa?

Em busca de um filme para o seu final de semana? Acompanhe as últimas novidades do cinema e os grandes lançamentos pelo Espaço Itaú de Cinema.


#6. “Cuidado para não riscar o disco”

Hoje em dia é tão fácil ouvir uma música inédita, não é mesmo? Basta clicar no aplicativo do seu player de música favorito, digitar o nome do artista e se divertir. Há 20 ou 30 anos, a coisa era bem diferente. Primeiro veio o vinil, com seus lados bem definidos. Junto do vinil, as fitas cassete — quem nunca gravou uma música direto da rádio? No começo dos anos 1990, com a chegada dos CDs e o barateamento das fitas K7, a experiência de ouvir música ficou um pouco mais “portátil”: pacotes e mais pacotes de pilhas para algumas horas de música no walkman/discman.

Apaixonado por música? Que tal uma passadinha no site do projeto Álbum, do Itaú Cultural? Outra alternativa são os clássicos do Brasil e do exterior no site da Radio Batuta.


#7. A internet era beeeeeeeeem diferente

Já imaginou levar horas (talvez dias) para baixar uma única imagem? Ficar conectado durante a semana? Nem pensar. Só nos finais de semana e depois da meia-noite para pagar mais barato. Imagens pixelizadas, sites em preto e branco, ferramentas nada interativas. Vale lembrar que internet era apenas para “pesquisa escolar”. Quem é que não tinha uma gaveta repleta de discos com horas de internet da AOL?

A internet mudou e o jeito de acessar a sua conta corrente também. Seja no computador ou no celular, não esqueça de baixar os aplicativos do Itaú.


Like what you read? Give Itaú a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.