Música #004

Quando tinha uns 14 anos, mais ou menos, eu dizia que não gostava de música. Você deve estar se perguntar “como alguém não gosta de música?”.

Bem, provavelmente você já é uma pessoa com suas ideias formadas e bem resolvido com o que você é e o seus gêneros musicais preferidos. Mas para uma criança ou pré-adolescente em formação, isso pode ser algo bem complicado.

Música e estilo é algo que tem uma relação muito forte, roupas, cabelos, tatuagens, etc. todas essas características vão dizer em que grupo ela se enquadra. Quando você vê um cabeludo com roupas pretas você automaticamente faz a associação com alguém do Metal.

Nessa época eu não gostava de música porque eu fui criado com conceitos de que música popular não era boa, e que eu tinha que escutar coisas boas, sendo o que eles julgavam bom. E isso faz todo o sentido afinal você consome coisa “boa” você é “bom”.

Porém todo o acesso a música que eu tinha era julgado “ruim”. Então eu tinha que gostar de algo que ninguém gostava no meu social e odiar o que eles gostavam.

Fui levando essa ideia por alguns anos, e não me importava tanto com a música, escutava o que era dito para escutar e alguns podcasts. Sempre que a conversa ia para música eu ficava quieto, ou tentava trocar de assunto.

Até hoje criei uma fobia em as pessoas saberem o que eu escuto, parece que é errado ou algo do tipo, meu melhor amigo é o fone de ouvido.

Na adolescência fiquei muito ligado ao YouTube (conteúdo para outro texto) mas nessa época eu tive acesso a muitos produtores independentes de música, Por isso que hoje em dia ninguém conhece direito os artistas que eu gosto.

Com o tempo eu fui aprendendo sobre artistas e gêneros de musicas, não conheço tudo mas o que mais odeio é gente sendo babaca e formalista com isso.

Como eu disse lá em cima, na época se você visse um cara cabeludão era metaleiro, hoje em dia é o wesley safadão.

Acho que a pessoa que defende um gênero ela nada mais quer manter o estilo dela, a sua cultura. Porém o que você vê hoje é uma fragmentação de padrões.

Eu acho muito legal a pessoa defender o estilo dela, mas fazer isso quando não existe mais estilo é bem estranho.

Por exemplo eu gosto muito de Indie Rock, mas isso não me impede de eu ouvir uns Raps.

Eu fico muito feliz com os amigos que tenho hoje, a gente sempre conversa sobre música e indica bandas um para o outro.

Eu acho que você não deve obrigar alguém a gostar do mesmo estilo de música que você gosta, mas acho válido você apresentar o seu estilo para a pessoa.


Espero que tenham gostado do texto e se tiver alguma dúvida ou indicação, você pode comentar tanto pelo meu Twitter como no Facebook.