Eu

Já passa de uma da manhã e eu ainda estou acordado, ando com a cabeça atordoada, cheia de pensamentos aleatórios sobre várias coisas de minha vida, não sei se faço o certo, mas sei que ando sem rumo por opção, sei que estou no momento exato de tomar as rédias do meu destino, mas não tenho certeza se quero isso. Nunca fui uma pessoa confusa ou indecisa, mas confesso que desde o meu último relacionamento, ando tendo crises de fuga das escolhas da vida, talvez seja por isso que até hoje eu não escolhi o que eu realmente quero fazer com minhas redes sociais: excluir ou mante-las? Ando enjoado do mundo, tento buscar novos prazeres, mas nem na música, que era um dos meus maiores prazeres, vejo entusiasmo necessário para viver, fazer, escutar! Desde que me vi um novo Iuri, não sinto mais necessidade de pessoas, me vejo independente, solitário e auto de si, mas carente até o último minuto de atenção, todavia aquele gosto por correr atrás das pessoas já não tenho mais, meio que assumi minha carência. Todos os dias quando acordo, me pergunto quanto tempo falta para minha morte, e se realmente é necessário a minha existência, já me peguei pensando sobre a falta que faço no mundo, sempre tenho a impressão que nenhuma. Penso todos os dias em desaparecer da minha vida atual, começar uma nova em outro lugar, talvez outro país, mas fico pensando se tenho suporte suficiente para isso, sou muito medroso e reconheço isso, mas também tenho bastante noção que nesse ponto onde estou, é como estar, e ao mesmo tempo que anseio mudanças, sinto extrema nostalgia de dias atrás, onde eu nunca me imaginei tão feliz, mesmo me sacrificando muito mais que hoje, talvez o meu jeito não seja mesmo o melhor para se conviver, mas eu sempre me dedico 100% as pessoas, nem sempre recebe de forma recíproca, já estou cansado de ser um perdedor na vida, vivo mais frustrado que sei lá o que. Quero que a morte não seja uma frustração, mas sim uma consequência alcançada, por isso amanhã vou acordar mais uma vez, me perguntar por que estou vivo, ir para o meu serviço, trabalhar, voltar e dormir.

Like what you read? Give Iuri Ramos Reducino a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.