Você já ouviu que precisa falhar? Mas para quê?

Falhar falhar e falhar…será que isso está certo?

Hoje em dia lemos e ouvimos diariamente que precisamos falhar, e não só uma vez, várias vezes, em várias dimensões e quanto mais rápido melhor.

Como empreendedor, já tive ideias que deram muito certo, outras que deram muito errado, e sempre falhei bastante. Mas nunca busquei a falha, sempre busquei fazer o melhor que pude.

É aí que está o problema, acredito que a necessidade imposta de falhar para obter sucesso tem criado um conceito distorcido de que a falha é o caminho para o sucesso… NÃO É! A falha é um gatilho para um monte de coisas que PRECISAM acontecer depois para aí sim ela ter algum efeito positivo em sua vida profissional.

OK, eu falhei, e agora?

1- Entenda muito bem onde falhou.

Após falhar, é fundamental dedicação para entender profundamente os motivos do insucesso. O que foi feito antes da falha acontecer? Provavelmente não foi uma única ação que culminou na falha. Atul Gawande, autor do livro Check list comenta em seu livro que um grande erro é uma sucessão de pequenas falhas. Então monte o quebra-cabeça completo da sua falha, e decore o que você fez de errado, entenda por que fez errado, quem participou do erro e quando a coisa começou a desandar, só depois disso estar bem assimilado parta para a segunda etapa.

2- Se pudesse repetir tudo de novo, o que faria diferente?

Já cheguei aqui muitas vezes e muitas vezes inventei uma desculpa que certamente você já ouviu ou já usou.

“Se voltasse no tempo, provavelmente faria tudo igual pois não tinha como saber o que aconteceria”.

Aí que você se engana! A falha tem uma vantagem, você pode repassar o que aconteceu e pensar no que faria diferente! Você não vai voltar no tempo, então use a seu favor! Agora pense, com as informações que possui agora, o que você faria diferente?

Minha sugestão é escrever novamente o passo a passo até a falha, só que agora escreva também o que teria que ser feito diferente, levantando mais de uma sugestão de ações diferentes em todos os momentos em que acha que cometeu um deslize.

Só a partir desses 2 pontos a falha cometida começa a fazer algum sentido, se não fizer esses dois exercícios, falhar não vai te trazer nenhum benefício, somente frustração e um belo soco em sua autoestima.

3- Sentiu o golpe? Transforme isso em vontade de mudar.

Essa acho que é a parte mais complicada, a resiliência. Acho necessário você sentir a porrada que a falha lhe causou.

A sensação horrível de falhar precisa ser sentida. É importante para que assimile ainda mais os erros que cometeu e evite cometê-los novamente.

Após sentir o golpe, junte forças e parta para a recuperação com as duas etapas que falei anteriormente. Entender suas falhas vai te dar a energia e a força para começar novamente.

Uma falha só faz sentido se puder tirar algo muito maior do que tiraria se seguisse sem esse tropeço. Se não for assim, é só sofrimento inútil mesmo.

Falhar é o primeiro passo de uma lição muito difícil que não aprenderia de outra forma. Então se acontecer, faça valer a pena.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.