Nobody breaks my heart?

Eu não posso permanecer, não consigo me concentrar, tudo está virando de uma forma rápida, as coisas já não caminham como antes, eu permaneço em ritmo acelerado, sem sair do lugar.

Mas isso é estranho, depois da sua partida eu me encontro acelerada por dentro, algo me toma e eu não passo 5 min concentrada em algo, realmente eu jamais achei que alguém poderia quebrar o meu coração, mas eu estava enganada. Pela primeira vez, fiz tudo ao contrário sem me dar conta de que eu estava fazendo, minha boca dizia que eu não queria, mas meus olhos me entregavam de uma tal forma que não pude conter, não pude fugir, mas eu não podia te amar, eu não sei amar.

Eu preferi ser fria, eu preferi fazer com que você a cada dia se distanciasse de mim, preferi que você recorresse a outra pessoa que não fosse eu, preferi deixar você pensar que eu não fui feita pra você, eu não poderia ceder dessa forma, e olha onde chegamos, corações partidos, o meu fracasso me suprindo, o meu medo me corrompendo, minha conduta se desfazendo. Eu preferi fugir de você, fugir de ter algo que realmente valesse a pena, por que de nada adianta, a vida já é louca por sí só, e eu não conseguia me adaptar.

Você foi embora, e mesmo eu dizendo que não doeu, doeu, por que fiz de tudo para que isso acontecesse, usei dos meios mais sacanas para deixar bem claro que não queria você por perto e com isso, eu violei a minha frase, por que realmente, ninguém quebra meu coração, apenas eu.

I can not stay, I can not concentrate, everything is turning quickly, things do not go the way they used to, I stay at a fast pace, without leaving the place.
But this is strange, after her departure I find myself accelerated inside, something takes me and I do not spend 5 minutes concentrating on something, really I never thought that someone could break my heart, but I was wrong. For the first time, I did everything backwards without realizing what I was doing, my mouth said I did not want to, but my eyes gave me in such a way that I could not contain, I could not escape, but I could not love you I do not know how to love.
I preferred to be cold, I preferred to make you every day get away from me, I preferred that you turned to someone other than me, I preferred to let you think that I was not made for you, I could not give in that way, And look where we have come, broken hearts, my failure filling me, my fear corrupts me, my conduct is undone. I preferred to run away from you, to get away from having something that was really worth it, because it's no use, life is already crazy by itself, and I could not adapt.
You left, and even I said it did not hurt, it hurt, because I did everything to make it happen, I used the meanest ways to make it clear that I did not want you around and with that, I violated my sentence, for That really, no one breaks my heart, just me.
A single golf clap? Or a long standing ovation?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.