perdeu, playboy, perdeu.

dormindo, pegando, indo. carioca tá sempre fazendo. mas quando perdeu é perdeu. porque uma vez que foi, já era, não tem volta. abre mão, deixa ir, que se foda.

-esses aviões sobrevoando a bahia de guanabara

subindo e descendo.

subindo e descendo.

subindo e descendo.

falam sobre as únicas palavras que meu coração foi capaz de ouvir. perdeu. perdeu. perdeu. presente, passado. não terá futuro. foi no assalto que te disseram, lembra?

-me dá seu telefone. oi? me dá seu telefone e não grita.

-você me deixou sozinha, se você estivesse do meu lado, teria sido diferente. -não. foi assim. foi você, foi você sozinha, foi só você. era pra você.

-silêncio.

o céu azul deixa que o sol pingue meu suor e faz meus peitos gritarem que querem liberdade. tiro a blusa e que se foda todos os olhos em volta que se voltam para eles.

agua.

adocico mais um pouco a alma e a consciência.

entendo.

-de uma vez por todas, desce essa ladeira vazia, como você, e em mim sozinha como sempre. eu quero esse céu azul e um horizonte inteiro. solta meu peito, liberdade para ele e para mim. adeus, adeus.

porque perdeu, playboy, perdeu.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.