Repúdio versificado

Canto o repugno aos sórdidos tenores
próceres das vozes eternas dos malditos
aqueles que a mão esquerda grava os ditos
mais distantes do céu e dos bastidores.

Verbalizo os meus temores com raiva itinerante
entre a missa dos adulterados e dos coitados
entre pasárgada, o céu e esses mares salgados
dito o coletivo parte desse baile ignorante.

Porque há muito tempo nessa história triste
percebemos, sim, que o demônio existe
na alma daqueles que se perderam.

E nós que vivemos nestes veios do dragão
pela credulidade antepassada da nação
temos que aceitar que eles nos foderam.