James R. Eads

A viagem.

Da escuridão 
Surge uma ideia 
E do pensamento 
A imaginação flui.

É vento que me leva
Pra longe
É vento que me traz
De volta.

Não vou tentar me segurar
Vou para onde o vento mandar!
Viajar para cantos 
Que só o vento sabe chegar.

Só por hoje
Me permito conhecer 
Lugares sem caminho de volta
Sem medo de me perder.

Mas e se o vento cessar?
-Me pergunto-
Ora… vou para o rio 
Deixar o rio me navegar

Boiando em suas águas 
Sem o medo de me afogar
Vou permitir que a correnteza me leve!
Só não quero parar…

É correnteza que me joga
Prum lado
É correnteza que me traz
De novo.

Me leva a lugares
Inexplorados 
E descolonizados 
Mas a viagem sempre acaba igual:
Eu
Uma lapiseira
E um papel
Todo rabiscado no final.


[Apesar da segunda ‘arte’ ter sido feita por mim e ter minha assinatura, usei como base uma arte pronta que achei no Pinterest de algum artista que infelizmente não achei o nome e mudei só uns detalhes que eu queria (e fiz a montagem)😁. A primeira é de autoria do James r. Eads, um artista que vale a pena dar uma olhada.]

Like what you read? Give Jade Albanaz a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.