50 tons de rosa

Dentre muitos pensamentos que me vêm a mente, o mais recorrente é rosa. Não entendeu? É bem simples. A cor rosa genital. Vou explicar melhor: já não basta o padrão de magreza e curvas que nós temos que ter, agora, a cor também é um quesito de “preferência” masculina. Claro, até porque o cara vai tirar uma tabela da pantone pra chegar a cor da sua vulva. Clareamento anal, já! Mamilo escuro? sem problema, tem um creme que deixa ele rosado. Mas para quê? O que isso muda no ato? Eu respondo: NADA!

Agora, o por quê da cartela pantone ser inserida no nosso corpo já é outra história. O Brasil é um país miscigenado com europeus, africanos e indígenas, na maior parte. Ou seja, esse tom de branco rosado não é algo natural daqui. É raro. Não é comum. Então de ONDE vem essa necessidade de uma vulva rosa? Do pornô, talvez. Mas principalmente do estereótipo de que tudo na mulher tem que ser perfeito. Mas e seu pinto? Ele é grande e grosso? Rosado? Sem prepúcio? Aí, mas que absurdo! A gente tem que se submeter ao padrão magra, peituda, bunduda, depilada com toda a parte íntima rosada só pra satisfazer gente que precisa de campanha de conscientização pra lavar o pinto. Isso é o cúmulo do absurdo.

Creme de clareamento vaginal, laser de clareamento anal, por que? Pra o cara em vez de comer, ficar olhando e ticando da lista tudo que você tem? “Olha, aqui tem uma celulite. E essas três estrias, meu bem? Ah, olha só, sua pepeca não é rosinha que nem de bebê.” Vai comer ou fazer concurso de miss universo? Não consigo entender a diferença que faz se aqui ou ali é mais escuro ou mais claro afinal, buraco é buraco, né.

Já não importa mais ser bonita, produzida, usar salto, malhar, ser recatada mas SABER fazer (e vocês sabem do que eu estou falando). Tem que ser rosa. E não só rosa. Eles endeusam as virgens, mas não querem ser os primeiros porque “é muita responsabilidade”. Querem as experientes, mas só por diversão, afinal “não é mulher de casar”. Não faz sentido nenhum. E continuaremos com os 50 tons de rosa até Deus sabe quando.

Like what you read? Give Jade Lourenção a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.