ser mulher e feminista exigirá diploma

Para ser mulher, já que segundo a citação (sempre) descontextualizada de Simone de Beauvoir, “não se nasce mulher, torna-se” vai ser exigida do cidadão a qualificação por meio da Faculdade de Ser Mulher.

Para ter acesso à Faculdade de Ser Mulher, o aluno terá que se submeter a uma avaliação um pouco mais degradante que o vestibular, na qual será fisicamente, psicologicamente, ideologicamente julgada pelo Conselho Feminista Radical das Frígidas Burras Desocupadas, que vão decidir se o aluno é apta biologicamente (de acordo com noções obsoletas de sexo biológico) a ser ensinada os Saberes da Feminilidade
Como critério primário para o ingresso do estudante no curso, o estudante deve, em primeiro lugar, dispôr de um útero próprio e ter tido seu gênero definido pelo médico, ao nascer, como Mulher. A partir disso será decidido se, como candidata a Mulher, a suposta fêmea biológica deve receber sua carteirinha de feminista e ativista dos direitos humanos. 
 
Ou seja, o curso dá dupla qualificação como Mulher e Feminista, de modo que o indivíduo tendo passado com aprovação por todos os ciclos de higienização do cérebro e retirada de senso crítico ou qualquer instinto de questionamento, usando dos métodos mais avançados de rachação e sororidade com as mana, desenvolvidos por meio de autopoliciamento neurótico-coletivo e frigidez incontrolável, está apto a opinar sobre assuntos que dizem respeito ao conceito Mulher. Não há consenso, diz-se hoje em dia, do que seja uma mulher. A questão é polêmica, amplamente debatida já que gênero, diz-se, é construção social até certo ponto e embasa-se numa discriminação sexual biológica. O sexo feminino, por sua vez, é também debatido como questão biológica em diversos aspectos. Em breve, como decidiram as Grandes Ativistas dos Direitos Femininos, não haverá necessidade de se definir debatendo a ideia de mulher, fêmea.

O Diploma irá fazer o filtro entre Mulheres, que podem se expressar politicamente quanto ao patriarcado, questões como aborto, estupro, contraceptivos, consentimento, liberdade sexual, sexualidade, transsexualidade, dupla jornada de trabalho, equidade salarial, família e maternidade, equidade de tratamento social, autoimagem, dependência financeira, educação desigual, a instituição do casamento, o poder político feminino, pesquisas científicas com possíveis vieses machistas, equidade de gênero em uma perspectiva histórica… e os não-possuidores de diploma serão classificados como vermes. 
As supracitadas questões na verdade estão perdendo sua relevância e serão abolidas para tratar-se de questões que no atual momento são mais relevantes para a Classe Mulher: homens usando saia, homens que se relacionam com mais de uma mulher ao mesmo tempo, o papel do falo na opressão feminina como símbolo de poder masculino no plano imaginário inerte, artigos de qualidade pobre que homens escrevem sobre mulheres, a barba do Gregório Duvivier e como todos os homens são machistas estupradores e assassinos em potencial, emponderamento por selfie, como defender uma presidente que quebrou uma nação inteira, o feminismo como neoreligião baseado em tradições antigas com as quais as praticantes modernas jamais tiveram contato real, tarot, horóscopo, penetração é estupro, olhar é estupro, oficina de cartazes retratando seios e vaginas, a rejeição do contraceptivo como afirmação política, a escala de opressão e privilégios de acordo com peso altura espaçamento dos olhos sobrancelha e cor do cabelo…

Recomenda-se que o aluno comece a se preparar para a qualificação como Mulher lendo os blogs e textões das manas que estão disponíveis no Facebook, em grupos e perfis de algumas figuras ilustres que não vou citar aqui por respeitar o cânone social de manter afastadas as personalidades tóxicas e evitar conflito.


O autor desse post (que inclusive perdeu sua Carteirinha de Mulher recentemente), na condição de Opressor™ não busca expôr publicamente as manas e sim o rumo que as coisas têm tomado. Isso não é uma briga pessoal, isso é uma luta política pelo direito à identidade.

Cabe ao autor do post lamentar aonde chegamos e voltar-se ao feminismo herege , individualista, aceleracionista, queer, alien, anarquista, libertário e da contracultura. Cabe também incorporar imediatamente in before antes que alguém o diga, os rótulos de alienada, escrava do patriarcado, machista, racista, fascista, sionista, badernista, nazista e ainda….liberal. 
Cuidado, o autor desse post é diretamente responsável pela opressão de milhares de mulheres, tem amigos homens que ó…lamentável essas más companhias…super opressores de categoria. Dedico esse texto que ninguém vai ler a todas as minhas amigas mulheres que estão cansadas de aturar militância escrota e policiamento e a todos os meus amigos homens que foram rachados diversas vezes por lesmas horripilantes que se auto-intitulam “mulheres feministas”. E a quem não se classifica/identifica por gênero, 
também.

ó que perigo pra sociedade meu deus alguém exorciza, mana, mata rápido