Her: as interações interpessoais, emotivas e tecnologias de inteligencia artificial

Alan Touring logo após conceber o campo da computação com criação do colossus durante a segunda guerra mundial revolucionou vários âmbitos da humanidade, muito antes do ENIAC considerado o primeiro computador digital,ele o propôs a “inteligencia artificial” no artigo “computing machinery and intelligence” onde se propõem o “jogo da imitação” onde analisa e testa como um computador ou OS (operational system) teriam uma inteligencia artificial se conseguisse enganar o juiz mediador de um bate papo que seria um humano conforme as regras. Por ser difícil de acreditar mas é muito mais fácil de enganar os humanos que se pensa, programas que processam a linguagem natural e respondia como o Cleverbot, na obra cinematografica Her de Spike Jonze retrata essa interação do homem com a maquina onde há uma percepção de sentimentos. Não somente para maquinas que podem interagir pessoas tem tendencias há transpor percepeçoes até para fenômenos da natureza,que é denominado de Antropormofização. Assim fica claro no filme como e porque Theodore tem a percepção de sentimentos e até sensações sensuais sinestesicas que preenchem-o. Ainda, vale ressaltar o desenvolvimento dos SO a partir de suas interconexões, não somente com humanos, criando grupo de discussões e até trabalhos que acarretaram na criação de um mundo digital formado por bits para onde vão logo após avisarem ao seus usuários.

Um outro ponto bastante importante é como as relações são baseadas nos fatores tecnológicos e de como as relações sociais e sentimentos coagem tendenciosamente, nos trechos do filme onde o Theodore pesquisa por “musica melancólica” ou joga um game onde se busca escapar de um mundo vazio, as mensagens subjetivas agregadas ao contexto mostra como os sentimentos tem ligação direta de como se interage e pode ser comparado com o algorítimo do facebook que cria ilhas de isolamento baseados na interação dos usuários. Bem como socialmente com os joga chamado de “mãe Perfeita” onde fica claro que a busca por aceitação se baseia nas notas dada dentro do jogo. Com tudo o filme nos trás uma nova percepção do mundo, das relações sociais com as tecnologias servindo de critica e propor discussões sobre o agora e de como se encarar as novas tecnologias e unica conclusão que se pode tirar é que isso é muito BlackMirror.