Amor e sua partida


Há exatamente um ano atrás você era a minha melhor música, aquela que um dia teve seu fim. Nessa madrugada me perdi em pensamentos, os mais negativos possíveis, me perdi nas recordações, nossos momentos que um dia não existiram mais. Ontem recebi uma mensagem e sem saber ela me ajudou a lembrar de você, e o quanto me amou.

As palavras começam a perder o significado, já não consigo pronunciar nada, meus olhos agora estão cheios de lágrimas e tudo que tenho a fazer é aceitar essa dor enorme que ganha lugar no meu peito e não me deixa respirar.

São os mesmos espasmos do final, a mesma melancolia após um ano da sua partida. A vida afetiva nunca foi generosa, o sofrimento já virou rotina e as lágrimas descem suavemente, mais uma vez. Talvez você saiba que não sinto sua falta, na verdade sinto falta de todo carinho que me foi dado. Telefonemas a noite, ligações recebidas inesperadamente, um presente sentimental. Tudo isso as vezes faz bem para nossa alma e coração, mas nem sempre somos escolhidos para vivermos esses momentos. Talvez fui escolhida para viver isso no menor espaço de tempo possível.

Reviver isso hoje em dia me machuca, mágoa, acaba com meu sono e me deixa com um nó na garganta, mas do que adianta reclamar se o universo não vai me ouvir, se Deus parece não se importar, e não há como impedir tudo isso. Sofrer por amor é passar a madrugada sentindo uma dor na alma, sem cura e sem remédio, ela vai e vem e nunca se vai de uma vez. Um dia termino com esse sofrimento, mas hoje optei por viver, amanhã, se a dor aumentar, talvez não acorde no dia seguinte e acabe de vez com isso.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.