Vida longa ao Rock!

A música sempre fez parte de minha vida, lembro-me quando era pequeno, o almoço de domingo da minha família era ao som de Rock N Roll, Beatles, Rolling Stones, Led Zeppelin, mas com o tempo as coisas foram mudando, tanto para a minha família, tanto quanto ao bom e velho rock n roll, que já não é mais considerado tão bom, mas apenas velho.

Com a passar dos anos pude notar as diversas mudanças em relação a esse estilo, antes era considerado o protagonista do cenário musical, mas atualmente ele não passa de apenas um mero coadjuvante, visto que há tantos subgêneros que fica até difícil reconhecer o verdadeiro estilo que originou tantos outros.

Com a difusão da internet, hoje em dia para fazer sucesso é preciso ter uma conta nas redes sociais (Twitter, Instagram, Facebook), para ajudar a divulgar a banda, ter um estilo, digamos, próprio (para não dizer esquisito) e copiar tudo o que tem de pior melhor no mercado, pois os executivos não podem e não querem correr riscos, por isso vão atrás de bandas já aceitas no seu meio.

O Cenário musical atual está dividido em ‘modinhas’ (pessoas que só ouvem determinado estilo de música por estar na moda, ou por que a grande maioria detesta esse estilo e ele quer bancar o rebelde) e ‘não modinhas’ (pessoas que ainda continuam ouvindo o que querem independente de estar ou não na moda), se bem que hoje em dia virou moda odiar as modinhas.

Essa mistura de gêneros musicais é bom por um ponto, acho que nunca esteve tão mista como está atualmente, temos diversos estilos dominando, como o Black, Blues, Hip Hop nos EUA e no Brasil Sertanejo Universitário, Funk , Axé e o novo “queridinho” das gravadoras, o Pop, que cada vez mais está mostrando que veio para ficar (eu não acho ruim, até gosto, pra falar a verdade, gosto bastante).

Para mim, devemos ressuscitar o rock, pois vem se tornando cada vez mais escasso, qual vai ser o futuro dele quando as bandas que ainda estão na ativa: Guns N’ Roses, Iron Maiden, U2, Paralamas do Sucesso, entre tantas outras acabarem, será que apenas vão sobrar modinhas, ou vamos ter que modificar o rock para ele sobreviver ao mercado, que hoje, não presa a boa música e sim a aparência, a estética. Precisamos repensar para que um estilo tão nobre não venha morrer na praia, VIDA LONGA AO ROCK!.

Like what you read? Give Janaína Ajala a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.