Mais ficção ou mais científica?
Fernando Barone
305

Ótimo texto! De fato, se você deixar toda a especulação de lado, é inevitável cair no realismo — ou pior, numa versão fraquinha de futurismo próximo, uma “realidade ajeitadinha”. Ando lendo e pesquisando bastante sobre futurismo, no sentido “industrial” mesmo, e cada vez mais as empresas estão contratando escritores pra especular livremente e criar umas coisas malucas. Claro que a gente só vai saber a acuracidade das previsões dos caras daqui um tempo, mas acho que as empresas não estariam gastando milhões com isso se o futuro das novas tecnologias não estivesse justamente fora da caixinha, nas mãos de quem “dá asas à imaginação”.

Sei que o contexto não é o mesmo, mas quando eu terminei seu texto lembrei do discurso da Ursula K Le Guin’s no National Book Awards, quando ela diz: “ We’ll need (…) realists of a larger reality”. Talvez valha o paralelo de que a gente precisa de todo o tipo de escritor, inclusive escritores de ficção científica de uma “ciência maior”… hehe…

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.