#1 Diário de Viagem — Alemanha

Primeiro voo Natal — São Paulo no dia 15 de agosto de 2017
Stuttgart

Olá, amigos e irmãos, graça e paz do nosso Senhor. Agradeço por você ler essa carta e acompanhar as experiências que estou vivendo aqui. Se você não me conhece ou não sabe exatamente o motivo de eu vir para Alemanha, aqui vai um resumo: há quase um ano Deus tem me guiado para este país. Eu estava concluindo o meu ensino médio no IFRN em 2016 e precisava decidir o que iria fazer. Depois de meses de conflitos internos e dúvidas e após muita oração, a resposta de Deus parecia cada vez mais clara. Após concluir meu TCC e receber meu diploma, vendi minha moto e comprei minha passagem para viver aqui nos próximos 7 meses com o objetivo de aprender o idioma alemão e conhecer o trabalho missionário realizado nesse país.

Aeroporto de Frankfurt

E eu sou grato a Deus por todas as coisas que Ele tem feito até aqui. Há duas semanas eu estava me preparando para pegar o meu primeiro voo — e com “primeiro” eu quero dizer o primeiro voo da minha vida. Eu estava com medo o tempo inteiro, até porque eu viajaria sozinho e seria uma viagem longa, mas em todos os momentos Deus mostrou o seu cuidado para comigo até mesmo em coisas pequenas — como ganhar um casaco em SP porque eu não tinha nenhum comigo.

Da esquerda para a direita: Heike e Elfriede

Ao chegar no aeroporto de Frankfurt eu fui recebido pelas duas alemãs mais simpáticas que eu já conheci: Elfriede e Heike (tia e mãe da Julia). Admito que não esperava tamanha simpatia, — principalmente depois de tudo que ouvi e li a respeito dos alemães — e isso foi apenas o começo. Conheci essa família em 2016 através da Julia (uma missionária que trabalhou na MEPB Alecrim) e eles abriram as portas para mim sem cobrar absolutamente nada. Não apenas isso, a Elfriede e o Steffen estão cuidando de mim como se eu fosse um filho. Estamos em agosto e muitos estão de férias nesse período, então eles me levaram para MUITOS lugares nessas duas semanas: visitei algumas cidades históricas, parques, lagos, castelos, fui convidado para churrascos, etc. E detalhe, por mais que eu insista, eles nunca me deixam pagar por nada, dizendo que eu vou precisar do dinheiro para o curso de alemão — que não é nada barato. Resumindo, todo o meu medo de me hospedar com pessoas que eu não conhecia bem se foi, e eu me emociono ao falar disso pois isso me lembra o relato bíblico a respeito do envio dos 12 apóstolos em Mateus 10. Jesus sabia que as pessoas de bom coração receberiam os discípulos e cuidariam de todas as suas necessidades, e eu me alegro pois o mesmo Jesus que enviou estes homens está VIVO e cuida de nós como um pai cuida do seu filho.

Elfriede e Steffen

A cidade em que vivo se chama Kirchberg an der Murr, uma pequena cidade com cerca de 3.600 habitantes. Eu não enfrentei grandes problemas para me adaptar aqui, a não ser a baixa umidade do ar — meus lábios ficaram machucados nos primeiros dias. A cidade tem muitos campos e florestas e tudo é muito bonito, principalmente agora que estamos no verão. A temperatura varia entre 17°C e 30°C e na maior parte do tempo parece que eu ainda estou em Natal. Mas o inverno está chegando e os meus “pais de hospedagem” têm me alertado sobre as dificuldades que o inverno traz, principalmente para quem nunca o enfrentou antes.

Lar doce lar
Ide

E falando em dificuldades… se tudo fosse fácil não seria uma aventura. O curso que eu pretendia fazer começa no dia 25 de setembro, porém, o curso não possui a quantidade mínima de alunos para começar — o que é muito esquisito pois esses cursos são muito disputados e eu reservei uma vaga quase dois meses antes do início do curso. A segunda opção é um curso de alemão numa cidade vizinha que começa no dia 5 de setembro, mas infelizmente ele é quase 100 € mais caro por módulo. Acredito que não tenho escolha e terei que fazer o curso mais caro, até porque falta apenas uma semana para começar. Mas Deus é soberano e Sua vontade é boa, perfeita e agradável. E enquanto o curso não começa, eu estou estudando sozinho. Em um dos churrascos que eu fui, eu conheci uma professora de alemão que fala português e é casada com um brasileiro. Ela me deu os dois primeiros livros do curso para que eu não fique sem fazer nada durante esse tempo de espera, e estou aprendendo bastante.

Churras

Também quero compartilhar que eu visitei duas igrejas durante esse tempo aqui. Uma igreja é mais carismática e tem uma liturgia parecida com algumas igrejas brasileiras. Essa é a igreja que a Elfriede e o Steffen congregam e fica numa cidade vizinha. A outra igreja é bem tradicional e acredito que seja a igreja oficial da cidade onde vivo. A família da Julia congrega nela. Admito que gostei igualmente das duas, porém, a igreja mais tradicional tem um grupo de jovens muito forte e ativo. Acredito que durante esse tempo aqui eu serei mais útil na outra igreja. De qualquer forma, ainda não me decidi e estou orando por isso.

“Não acumulem para vocês tesouros na terra, onde a traça e a ferrugem destroem, e onde os ladrões arrombam e furtam. Mas acumulem para vocês tesouros nos céus, onde a traça e a ferrugem não destroem, e onde os ladrões não arrombam nem furtam.” Mateus 6: 19–21

Agradecimentos e pedidos de oração:

  • Agradeço por cada pessoa que me ajudou orando por mim ou doando ofertas. Cada centavo fez diferença.
  • Agradeço a Deus pela família que está cuidando de mim.
  • Agradeço pelo meus pais que estão me apoiando e que têm sido meus maiores mantenedores até agora.
  • Peço que orem para que o Espírito Santo me guie para a igreja certa durante esse tempo aqui.
  • Peço oração pelo meu encontro com os contatos que eu tenho nesse país. Alguns deles são missionários e iremos nos ver no próximo mês. Peço que esses encontros possam ser guiados por Deus e que possam ser uma luz para o meu futuro aqui.
  • Peço oração para Deus levantar mantenedores que possam me ajudar durante esse tempo.
Esse é o meu novo número para contato: +49 0177 6669873

Fotos

Igreja Evangélica de Lucas em Kirchberg an der Murr
Meu cantinho
Marbach
Comburg Schwäbisch Hall
Doido é quem entra nesse lago. Gelada igual a água de geladeira. Obs: estamos no verão
Jan e Maria
Verão
A single golf clap? Or a long standing ovation?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.