O Sermão da Montanha

Lições de 8h de trilha e escalada.

  1. Descubra o seu ritmo. Não há jeito certo ou errado de caminhar.
  2. As trilhas em uma montanha raramente são homogêneas, o que requer foco e atenção o tempo todo.
  3. Olhar pra trás só se for pra contemplar os obstáculos já superados.
  4. Olhar pra frente é sofrer por antecipação.
  5. Permita-se parar um pouco para contemplar a beleza ao redor.
  6. Escalar as pedras requer olhar ao redor, reconhecer suas possibilidades e escolher aquela que você confia mais. Para isso, é necessário consciência e inteligência.
  7. Os velhos pensamentos da zona de conforto, como “não consigo”, “é demais para mim”, “quero voltar”, são absolutamente inúteis na hora de subir pelas pedras.
  8. Frente a um obstáculo, o medo e as dúvidas devem ser postas de lado e dar lugar à ação. Nessa hora, toda a especulação supérflua vai embora.
  9. Tropeços são comuns, não são uma punição, uma vergonha, ou uma prova de quão falho somos. Eles servem pra nos lembrar onde estamos — e que a ansiedade, comparação e julgamento são inúteis.
  10. Desviar do caminho também é comum. Voltar ao caminho certo requer maior esforço, mas não é impossível.
  11. Depois de um obstáculo… vem outro obstáculo diferente, que demanda um novo raciocínio e uma nova ação. Esse é o mecanismo da superação.
  12. Duvidar de que pode dar o próximo passo é condenar-se a permanecer onde está. Por esta mesma condena, voltar atrás não é uma opção, e traz tanta ansiedade quanto o que está por vir.
  13. Pensar nas dificuldades ou nos desvios como punição, vergonha ou falhas profundas e inerentes torna a jornada pesada e nos priva do aprendizado.
  14. Todos passam pelos mesmos desafios e cada um enfrenta à sua maneira: alguns contam com a experiência, outros vão bem de primeira, outros precisam de mais tempo. Nenhum deles é melhor que os outros.
  15. Querer competir é assinar sua derrota física e mental. Na montanha não se pode provar nada para ninguém, nem para si mesmo.
  16. Sempre que você achar que está dominando a situação ou começar a divagar, uma pedra escorregadia ou um lamaçal estarão te esperando dois passos à frente.
  17. Confie e respeite seu próprio corpo e limites. O seu corpo, dentro das limitações físicas e mentais particulares de cada um, sabe exatamente o que deve fazer. Ouça a sua sabedoria mais primordial.
  18. Para nós, enquanto seres humanos domesticados — habitantes da cidade, sedentários, mal alimentados, angustiados com o cotidiano esmagador da falta de dinheiro, dos compromissos sociais, do trabalho que não gostamos, dos relacionamentos frustrados — desligar a racionalização consciente e dar lugar à confiança quase cega em si mesmo é uma das maiores experiências que podemos viver.
  19. A Montanha é um espaço que nos torna mais humildes, atentos, conscientes, confiantes e pacientes, pois, sem essas características, é impossível percorrê-la ou mesmo sobreviver a ela.