PENSAMENTOS ACERCA DA DEPRESSÃO, DA MINHA DEPRESSÃO

A algumas semanas decidi que voltaria a escrever. No auge de minha depressão o desabafo foi meu maior companheiro, hoje não vivo mais uma grande crise depressiva, visto que a alguns meses não sento mais na cadeira de um psiquiatra para pedir por favor que ele me ajude a não matar minha filha. A Sertralina junto a Risperidona não são (mais) meu respaldo e a depressão deixa de ser minha principal desculpa. Parei de dizer não para mim, pois ser depressiva não me serve mais como argumento.

Sinto que hoje, após ter sobrevivido a quatro tentativas de suicidio no ano de 2016, não existem mais desculpas plausíveis para nada em minha vida. A pior fase, me permito dizer, já passou. Hoje sinto vergonha de dizer que tenho depressão.

Passei a perceber que a depressão faz morada e as crises se tornam cada vez mais, mais más.

Mais silenciosa. Mais destrutiva. Mais solitária. Mais covarde. Mais fraca. Mais má, comigo mesma.

Depois de tanto tempo carregando o fantasma da depressão eu mesma parei de confiar em mim. Sinto que tudo que as pessoas falam, talvez seja verdade.

É puro drama, garota.”

4 anos depois eu não me permito mais a ter depressão pois ja tive tempo suficiente para cura. porque todas as pessoas acreditam numa cura?


No inicio a depressão é até bem vinda, você é incentivada a se tratar, todos notam que você mudou, sentem sua falta nas festas, o sobrepeso é notado e alguns até te convidam pra almoçar angu, beterraba, musculo e todas as coisas fortes que há na terra.

Depois de um tempo você passa a ser a figura indigesta, melancolica e dramática que ninguém quer mais perto, pelo simples fato que eles esperam de nós uma reação, por menor que seja.

Porque o ser humano é tão fissurado em superação?


Eu não desejo me superar. Eu só queria me sentir viva. A depressão não me permite viver e nunca mais me permitirá.

Simplesmente porque não foi uma condição passageira na minha vida. A depressão deixa marcas. Marcas impossíveis de apagar da memória. E, são essas marcas que fazem diariamente a manutenção da depressão hoje em mim.

Eu só não quero ter que me explicar. E é por isso que, covardemente, eu finjo não ter depressão.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.