mudanças estruturalistas, limitadas.

Nestas conversas elitistas dos bares
eu nao encontrava vontade no coraçao de nenhum daqueles
que debatiam sobre a necessidade de recontruçoes
coragem de estar no corpo alheio e mudar alguma coisa

marx, hegel, foucaut, conheciam todos
destrinchavam lenin e endeusavam seus ideiais de estado
rousseau, sartre, de beauvoir
sabiam todos os tipos de dominaçao de classes
falaram até em hegemonia cultural gramsciniana
vomitavam ideologias reestruturalistas

nenhum saia de seus confortaveis assentos
muito menos deixava seus postos, seu circulos eram os mesmos
todos eles eram cheios de uma empatia memorável
poucos a materializavam

tudo era dito nas rodas, mas nenhum deles sentia os gritos
nestas conversas aristocratas, cheias de juventude visionaria
nao havia força alguma para revoluçoes mais profundas
eram em profundidade, palavras superficiais
transformaçoes limitadas.

eram todos, em fato
politizados de privilegios, riquezas, dominaçao
sustentados sob desigualdades, massacres culturais, e etnicos
torturas fisicas e psicologicas, opressoes intentas
de classe, genero, cor, identidade.
todos eles sabiam, nenhum deles mudava.

Like what you read? Give Joao Lazaro a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.