Histórias de um hacker profissional #1

O titulo pode parecer estranho para alguns, mas sim, hoje em dia já meio que “existe” essa profissão já dei algumas palestras falando sobre isso e agora vou trazer minhas experiencias sobre como é ser um hacker hoje em dia e como ganhar dinheiro com isso.

Acho que a primeira coisa a se contar é como comecei nessa vida, como qualquer área para se tornar profissional é sempre o mesmo caminho, estudar, estudar, estudar porém, para se tornar um hacker além de estudar você tem que ser motivado por algo, se não vai desistir muito fácil porque ao contrário do que dizem, é difícil, muito difícil, é difícil porque é muita coisa você tem que estudar redes, programação, linux, windows, macOS, kernel, e por ai vai você não pode parar, porque se parar vai ficar para trás, então iniciei pelo básico, aprendendo o básico do básico de computação, isso por volta dos 10/11 anos, logo meu pai me colocou em um curso onde aprendi muita coisa, porém nada muito avançado, sério os cursos são focados em word, excel, power point e esquecem de falar sobre programação, linux… acabam deixando de lado muita coisa legal. Minha história no mundo hacker começa no IRC (clichê), usava o windows e na época tinha o mIRC e com a onda do msn estava procurando outros clientes para bate papo e encontrei o mirc e claro, no inicio achei uma b*sta porém, comecei a conversar com uma galera de um canal chamado “underground” dentre de outros vários do #freenode e lá fui introduzido, não literalmente, ao mundo hacker, o engraçado é que no inicio eu achava que era só mais uma coisa sobre computadores mas com o tempo descobri que era muito mais legal do que eu imaginava, descobri que quando eu me conectava a um channel do irc havia uma conversa entre meu computador e um servidor logo pensei, caramba! Maquinas podem conversar entre sí, mas como eu faço para conversar com uma maquina e assim descobri a programação nesse ponto já estava mais velho, entre 14/15 anos e já sabia o básico de redes foi uma questão de tempo até descobrir que podia programar qualquer coisa, minha primeira linguagem foi o C e logo que aprendi o básico e fui entendendo como funcionava comecei a criar pequenos programas foi quando meu mundo virou, descobri os Malwares, famosos vírus de computador, entrei para um canal no irc chamado vx-VirusExperts, assim são chamados os programadores de malwares, era fascinante, aprendi técnicas de programação muito alem do que imaginava ser possível, aprendi que um programa “viajava” através de uma rede e assim podia chegar até outra maquina e ser executado lá, me perguntava como? Como uma coisa que eu faço aqui, chega lá e funciona? Foi então que me aprofundei em redes, mais especificamente em protocolos de comunicação e quase fiquei louco! Descobri o quão fácil era invadir uma maquina, um servidor enfim, criei hábitos de segurança, firewall, monitoramento enfim, ficava sempre com um pé atras com tudo e assim comecei a estudar e evoluir na área de segurança da informação, a minha introdução ao status de hacker veio com o tempo quando comecei a escrever programas que verificava arquivos para vírus específicos, os temidos vírus de macros, eles vinham, geralmente, em um arquivo .vb era terrível, pois os antivírus naturalmente ignoravam por algum motivo, essa extensão durante um tempo e quando publiquei meu programa que era escrito em C algumas pessoas começaram a usar e para minha surpresa recebi um feedback bem legal, com contribuições o projeto deu uma crescida mas logo as empresas começaram a verificar os .vb, porém eu já tinha conseguido uma certa notoriedade o que foi ótimo e assim recebi convites para salas mais reservadas onde através da programação recebi o tão sonhado titulo de hacker hahaha.

Hoje em dia é meio difícil para algumas pessoas associar hacker com profissão, muitas são pessoas da área que sempre duvidam, sempre querem mostrar que tem mais conhecimento que você, ou no meu caso, não me levam a sério por causa da minha pouca idade, tenho só 23… Mais isso muda quando, por exemplo, faço teste para vagas de empregos, atualmente trabalho como “consultor” do governo, o que é bom, pois tem alguém que entende o porquê determinada pessoa fez determinada coisa com um computador, já conversei com muitos “black-hats” que foram “presos” (adoro usar aspas, quando se falar do governo só assim…) e muitas vezes oque descobria era que o cara tinha problemas, precisava de grana, e por ai vai. Já fui procurado para várias coisas, desde hackear facebook, até achar pessoas desaparecidas e como eu tenho critérios não saio fazendo qualquer coisa só porque paga bem, deve ser por isso que vivo duro, a área da segurança da informação é uma mãe cruel e fria, te ensina, te educa, mas também tira.

“O conhecimento humano, pertence ao mundo” ❤

Show your support

Clapping shows how much you appreciated José Augusto Dias Rosa’s story.