Porque eu acabei com meu blog
Pedro Turambar
435

É interessante saber que existem outros, e, com outros motivos.

Eu também fechei meu blog — meus blogs que sempre foram para mim um só — por motivos bem diferentes, mas meu propósito inicial era o mesmo que o seu; escrever para escrever bem.

Eu sempre quis ter a capacidade de transportar meus pensamentos e ideias para os textos com a mesma ênfase que tinham na minha mente. Eu considerava meus dedos como os tradutores do que existiam aqui dentro e eu calejei meus dedos de tanto trabalharem.

Mas tive de fechar. Tive de parar, deixar de lado a expectativa e por fim adotar uma postura bem diferente. O que me fez abrir mão do que me era um prazer, foi a insistência dos leitores em não entender que tudo era um exercício. As pessoas parecem não entender que “opinião” e “verdade” são “coisas” diferentes. Liam-me garantindo um julgamento que atrapalhava meu objetivo. Então parei; primeiro culpando-os por imaturidade; depois sabendo que eu não soube manter o que eu havia planejado.

Agora eu escrevo aqui, só aqui, e meu objetivo é simples; compartilhar em textos o que os ouvidos não sabem traduzir. Escrevo por ser mais fácil do que conversar — sobre certos assuntos — e vou deixar tudo exatamente como me ocorrer.

A ênfase de um texto cabe também à interpretação do leitor. Se eu insistir em ser absolutamente preciso em cada palavra, não estarei compartilhando e sim manipulando pensamentos.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.