Escrever não precisa ser um desafio.

Você quer escrever? Mas quer escrever por quê?

Se você quer escrever porque acha legal, tudo bem, você pode escrever qualquer coisa. A ação vai te satisfazer.

Se você quer escrever porque quer a fama, você também pode escrever qualquer coisa. Basta pagar o preço certo e com certeza você vai receber aplausos.

Se você quer escrever para impressionar outras pessoas, não insista, você vai só se frustrar.

Agora, se você quer escrever porque já não sabe o que fazer com tudo isso que transborda de você, escreva. Canalize, centralize, coloque toda e qualquer expressão dentro das margens de uma página e deixe fluir.

Para algumas pessoas, por mais que desejem, escrever é complicado. Essas pessoas tentam transportar seus pensamentos para o “papel”, mas não conseguem agrupar as palavras de modo expressivo. Essa dificuldade está justamente por se tratarem de pensamentos.

A escrita, assim como qualquer outro tipo de expressão, não pode ser alimentada por pensamentos. A mente funciona numa velocidade que os dedos jamais serão capazes de acompanhar, logo, escrever o que se pensa é quase impossível.

Quem escreve, escreve o que sente, ou como se sente em relação ao que pensa.

Se você quer escrever, deixe de lado o discurso que a sua mente narra enquanto você pensa e tente expressar o que você sente diante de tudo que é dito por sua voz interior. Mesmo que isso pareça ser ainda mais difícil, o que você sente torna-se uma verdade — mesmo que brevemente — e você pode encontrar um modo de traduzir essa verdade através de palavras, que quando agrupadas, transmitam aquilo que você reconhece como a verdade que sente.

Escrever é um exercício de sensibilidade. Você precisa ser e estar sensível aos reflexos de tudo que te ocorre e perceber o modo como as ideias e os pensamentos influem sobre você, o que te causam e principalmente o que você causa no que pensa.

Ah sim, você pode oferecer uma consequência à um pensamento.

Algumas pessoas que não conseguem se expressar pela escrita, são capazes de elaborar comentários de grande interpretação ao que lêem. Não é estranho alguém que não se sente capaz de se expressar na escrita seja capaz de escrever comentários sobre algo que leu de modo bastante eloquente? Isso acontece porque essa pessoa está causando algo ao que pensou depois de sentir algo que leu. E quase sempre estes comentários acrescentam pontos interessantes ao conteúdo do artigo ou texto.

Não tente escrever sobre os assuntos, mas sim sobre o que os assuntos significam pra você. O que te causam e como te modificam, acrescentando ou não alguma interpretação diferente do que já existia na forma de conceito em você.

Se você quer escrever, escreva, mas sem a expectativa de que a escrita fala por você. A escrita deve falar sobre você, sobre o que você sente, sobre o que pensa sobre o que sente.

Qualquer pessoa alfabetizada é capaz de escrever, mas só pessoas sensíveis conseguem escrever algo que outros possam ler.

E não se deixe levar pelo o que irão dizer, pois a interpretação também depende da sensibilidade de quem lê. Assim como nem todo mundo consegue escrever, existem muitos que, que apesar de alfabetizados, não sabem ler.

Vai por mim, escrever liberta!

Like what you read? Give JAWs a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.