FAZER O QUE É PRECISO

Para se fazer o que é preciso, é preciso consciência, determinação e responsabilidade. É preciso perceber que por trás das necessidades, das verdadeiras necessidades, o retorno não é satisfatório logo no início. É preciso ter consciência de que “podar os galhos faz a árvore crescer”.

Para fazer o que é preciso, é necessário empenho nas ações que pedem um tanto mais de firmeza. É preciso se abdicar do reconhecimento alheio e se preparar para as críticas, pois se existe a necessidade é porquê alguém deixou de agir e estes dificilmente serão gratos de imediato ou até que sejam capazes de observar os resultados.

E para se fazer o que é preciso, também é preciso ser responsabilizar pelas consequências. Logo, é preciso ter responsabilidade suficiente para aceitar que tais consequências não são só necessárias, como também fazem parte dos processos.

É preciso coragem, muita coragem, pois para se fazer o que é preciso se arrisca muito e muito pode ser perdido no caminho. E se é assim, que tudo seja feito então com verdade, pois tudo que permanecer, tudo que partir, tudo que se perder e tudo que for conquistado, será acima de tudo verdadeiro.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.