Na beira da estrada, pensativo pensante

Pensamentos flutuantes que vulgarmente não valem nada

A grande espera ha de acabar

Viver em paz todas as nações, será?

Humano impuro, no chão limpo cria de Deus, projeto sujo

Imperfeição nos faz animal

Da sapiência na qual nos cabe sempre praticamos o mal

Acho que não somos tão evoluídos assim,

Que evolução é essa se somente pensamos no fim

Viva agora irmão, o fato de evoluir não esta no acabar em si

Mas em concretizar sentimentos na caminhada por aqui

Pobre morre na favela, que dó

Enquanto isso o politico somente ajeita o seu paletó

Realidades paralelas, destino desiguais

A luta de um povo que não desiste jamais

Palmares há de viver eternamente na mente dos que sabem ser

Melhor do que ontem e que o quilombo esta dentro do ser,

Vivo, com senso cooperativo, superativo

Por acordar todo dia sem o sol ainda nascer,

Julguem mas esta na hora de crescer.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.