TELE ENTREGA: QUALIDADE DE VIDA

A qualidade daquilo que EU realizo hoje permeia como fator predominante para continuidade deste fluxo de trabalho e consequentemente de recursos financeiros. Olhando para a organização como reflexo do sistema do indivíduo, da mesma forma percebe-se este mesmo fator porém agora ao invés de ser atrelado a um CPF estamos falando de um CNPJ.

Considerando as entregas como produto final seja pessoa física ou pessoa jurídica, começamos olhar para os resultados que temos hoje na nossa sociedade e entender a qualidade das entregas que estão sendo oferecidas no cenário atual. Dentro da minha visão, questiono sobre as entregas do setor público por estarem diretamente relacionadas ao bem-estar promovido por políticas públicas e todas decisões que impactam meu bairro, cidade, município, estado e país, ou seja, minha vidinha. E também percebo que dentro dos questionamentos da qualidade das entregas de uma iniciativa privada e de uma iniciativa pública, os olhares e diálogos se direcionam mais facilmente para a empresa privada do que para empresa pública. O quanto hoje participamos dos questionamentos das entregas da prefeitura da nossa cidade tanto quanto dos bares, restaurantes por exemplo que frequentamos?

Sabendo que a organização nada mais é do que muitas pessoas físicas atuando por um objetivo em comum, o que está por trás da qualidade de cada uma das entregas tanto na esfera privada como pública são as pessoas. Entra então minha curiosidade sob a óptica do ser humano o que influencia a produtividade dele que reflete diferenças tão grandes de entregas em uma iniciativa privada e uma iniciativa pública?

Minha percepção é a MOTIVAÇÃO.

Hoje em uma empresa para motivarmos uma equipe fornecemos por exemplo METAS, BÔNUS e também a possibilidade de DEMISSÃO. Motivando estes colaboradores para realizarem suas entregas tanto pelo prazer (remuneração) como pela dor (demissão).

E no setor público, como se dá está motivação? Em um cenário onde não temos metas, bônus e nem a possibilidade de ser demitido?

Crewson em 1997 já discutia sobre a motivação do setor público e dentro da sua pesquisa levantou dois principais perfis:

  • Indivíduo com o objetivo da remuneração financeira;
  • Indivíduo com objetivo na contribuição ao próximo.

Os servidores públicos possuem mais interesse geralmente pelo altruísmo e no setor privado pela remuneração financeira. Recompensas intrínsecas são mais importantes para o servidor público do que o privado.

A entrega da nossa qualidade de vida através do setor público está diretamente relacionada com o alinhamento de pessoas altruístas que através da consciência do impacto das suas ações dentro do setor público mantém sua motivação e comprometimento independente de remuneração extra, metas e o receio de perder seu emprego.

Será então importante o alinhamento do perfil de servidores públicos que estão hoje gerenciando as entregas para nossa cidade/ país? E o quanto será que podemos encontrar hoje dentro do setor público pessoas motivadas mais pelo altruísmo do que pela remuneração financeira?

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.