Sempre fui muito risonho desde bebê. Gosto de sorrir com lábios e com os olhos, mas só quando necessário. Há um momento certo para cada tipo de sorriso. Fato é que sempre estive sorrindo. Poucos me viram chorando e sobreviveram pra contar.

Sorrir é bom. Dizem que o sorrio é bom para saúde. Combate estresse, depressão e um monte de outras doenças. Além de liberar não sei quantas substancias com nomes estranhos e que também fazem bem de alguma forma pra nossa vida. Um sorriso seu também pode fazer muito bem à vida de outras pessoas. O sorriso é contagiante.

Já sorri de alegria. Já sorri pra disfarçar desconforto. Já sorri pra parecer gentil. Já sorri pra ser irônico. Já sorri pra acalmar. Já sorri pra paquerar. Já sorri de raiva. Já sorri pra não chorar.

Me falaram que homem não podia chorar. Eu acreditei. Eu fiz de tudo pra não chorar. Fiz de tudo pra conter a dor. Eu sorri.

O preço por cada lágrima viria anos depois. O valor de cada sorriso seria cobrado também. Não me deram e não me dão mais o dom de ficar triste. Preciso manter o sorriso de sempre. Preciso manter a postura. Preciso estar sempre de bem com a vida, mesmo quando ela não estiver de bem comigo.

Preciso continuar mantendo a dor escondida. Preciso tentar matá-la ao invés de curá-la. Preciso ser feliz porque é isso que vocês querem. Preciso sorrir, pois é o que vocês sempre querem de mim. Meu sorriso pra acalentar suas almas. Mas quem há pra me acalentar? Quem há pra me arrancar sorrisos?

Like what you read? Give Jean de Medeiros a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.