Meu sangue derramado

Já sei que esse sol não vai nascer quando eu me acordar
Nem vou descansar quando me deitar

Eu sei que não vou ouvir 
O que vai me fazer feliz
De vocês só posso esperar
O que sempre disseram
Exista, exista, exista

E aqui dentro de mim
Fica a voz, berrante
Surrando as paredes, humilhante
Esperando eu ouvir
Resista, resista, resista

Meu corpo não se mexe
Nem meus olhos se abrem
O cansaço me toma
E meu sangue se entorna

Enchi meu copo com tudo o que vc diz
Tomei minha parte com tudo que acreditei.
E derramei. 
Cuspi as mentiras que eu descobri

Eu já sei.

Like what you read? Give Jean Machado a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.