Viradas de páginas

São cruciais e parte da vida.

Há um tempo atrás minha filha, Giulia, ao comer uma coxa de frango de repente soltou um berro de felicidade ao perceber que seu dentinho mole finalmente havia caído. Na mesma hora o segurou nas mãos antes que engolisse e mostrou a todos a sua volta, dizendo: — Meu dente caiu.., meu dente caiu. Naquele exato instante uma virada de página acontecia no auge dos seus 6 aninhos. Seu primeiro dente caia e a primeira infância caminha para sua reta final. Ela não tem a exata consciência do que se passava ali, mas mesmo assim manifestou com alegria e espontaneidade aquele momento, sem titubear.

Já reparou que a vida nos da a oportunidade de virar uma página de vez em quando? E muitas das vezes não nos atentamos desses momentos e não os aproveitamos como deveríamos. Deixamos passar ou nem percebemos. Penso por exemplo que a cada 10 anos automaticamente a vida nos da mostras claras de que uma grande página virou ou que precisa ser virada. Olhe a sua volta e veja o quanto sua vida mudou nos últimos 10 anos. E o que poderia ter mudado e não mudou por uma escolha sua.

Vamos começar pelo mais trivial. Nossas casas. Depois de 10 anos seu fogão começa a arrear, sua geladeira já não é mais a mesma e seu jogo de panelas está pedindo para se aposentar. Meu sofá então já esta quase caminhando sozinho em busca de um asilo de sofás de tão velho que está. Mas não é por menos, afinal completei 10 anos de casado recentemente.

Partindo então para o lado mais humano as viradas de página nos acompanham constantemente. A partida de um parente querido, o nascimento de um filho, o fim de um trabalho de longa data, tudo influencia nossas vidas de maneira decisiva e por vezes permanente — para o bem ou para o mal ,tanto faz, pois fazem parte da vida.

Mas há viradas de página que só acontecem se nos esforçarmos ou realmente desejarmos. Sair do comodismo e arriscar um novo trabalho, fazer aquela viagem que pode significar reflexão e mudança de rumos ou construir a tão sonhada casa

Muitas pessoas gastam uma vida inteira resistindo a viradas de página que poderiam transformar suas vidas ou simplesmente mostrar um novo caminho e quando se atentam disso já não tem a mesma energia ou disposição para fazer acontecer.

Em contrapartida vejo com otimismo uma parte da juventude mais idealista e transformadora, com desejo de virar velhas páginas que insistem em servir de referência para alimentar velhos pensamentos, preconceitos e maus exemplos. Seja na política, nas empresas, nas famílias e na sociedade em geral. Para que haja mudança e o novo a desconstrução de velhos conceitos faz-se essencial. Sem isso não viramos a página por completo e continuamos a nos enganar dia a dia de que tudo está bem.

A oportunidade de se virar uma página passa a qualquer momento diante de nossos olhos e cabe somente a nós mesmos virá-la ou seguir pelos velhos caminhos.

Gosto de uma frase de Gandhi sobre oportunidade e mudança: Se você deseja que o mundo mude, então primeiro você tem que ser a mudança que quer para o mundo.

Vire suas páginas e comemore com um berro de desabafo ou alegria como um dente mole que acaba de cair. Algo novo sempre vem.

Jean Sigel

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.